Palácio Nacional de Sintra

Quando chegamos a Sintra de comboio (trem), começamos a caminhar pela Volta Duche, estrada que faz a ligação da estação de Sintra até o centro histórico! Vimos duas chaminés brancas, altas e em formato que afunila em direção ao céu se destacando na paisagem! É uma construção muito interessante e muito peculiar!
Seguimos pela Volta Duche e até chegarmos ao Largo Rainha D. Amélia, onde descobrimos que aquelas chaminés fazem parte do Palácio Nacional de Sintra, situado no coração do centro histórico da cidade! De acordo com o Site da Câmara (Prefeitura) Municipal de Sintra, a construção também é chamada de Palácio da Vila.

Palácio Nacional de Sintra, visto da Volta Duche (Foto: Tissiana Souza).

Além das peculiares chaminés, que tanto chamam nossa atenção, o Palácio da Vila é extremamente importante em termos de história e cultura:
-em Portugal, é o Palácio com o maior conjunto de azulejos mudéjares (Fonte: Câmara Municipal de Sintra)
-dos palácios construídos pela Monarquia durante a Idade Média em Portugal, o Palácio Nacional de Sintra é o único que sobreviveu quase intacto até os dias de hoje! (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).

1. COMO CHEGAR A SINTRA A PARTIR DE LISBOA UTILIZANDO O COMBOIO (TREM):

A Linha de Sintra faz parte da Zona de Percurso dos Comboios Urbanos de Lisboa.
Para usar o serviço, é necessário adquirir o cartão dos Comboios Urbanos em um guichê ou nas máquinas de autoatendimento.
Este cartão será a sua passagem e sempre que você utilizar os comboios urbanos na região de Lisboa vai utiliza-lo. Portanto, não jogue fora seu cartão, que é de uso individual!
Você vai carregar o cartão na máquina de autoatendimento (ou no guichê com o atendente) com o percurso que você vai fazer, podendo também comprar a passagem de volta.
Ao chegar na plataforma e antes de embarcar no trem, valide o seu cartão nas máquinas amarelas - é só encostar o cartão no leitor e esperar aparecer a mensagem de validação. A não-validação está sujeita a multas (coimas) e é bem provável que haverá um fiscal dentro do trem conferindo se seu cartão foi validado antes do embarque.
Para nossa visita a Sintra, partimos da estação Sete Rios, em Lisboa, e a estação final foi Sintra (última estação da Linha de Sintra).
Os preços das passagens atualizados (ano de 2017) para os Comboios Urbanos variam entre 2,20 a 3,60€, conforme a estação de comboio que você escolha em Lisboa (Oriente, Rossio, Entrecampos, Sete Rios, Santa Apolônia ou Cais do Sodré). O tempo de viagem também pode variar entre 35 minutos e 1 hora e 15 minutos, a depender da estação e do horário do trem. Para consultar os horários, acesse o site dos Comboios de Portugal.

2. COMO CHEGAR AO PALÁCIO NACIONAL DE SINTRA:

-Caminhando: Saia da Estação de Sintra, vire à esquerda na Av. Dr. Miguel Lombarda. Depois essa Avenida virará à direita, mas manterá o mesmo nome até chegar à Volta Duche, em frente à Câmara Municipal de Sintra (Prefeitura). Siga pela Volta Duche até chegar ao Largo Rainha D. Maria Amélia.
A caminhada tem cerca de 1 km.

A vista da cidade de Sintra do interior do Palácio Nacional. Detalhe para o Castelo dos Mouros no alto da Serra (Foto: Tissiana Souza).

3. UM POUCO DE HISTÓRIA:

Segundo o site Parques de Sintra – Monte da Lua, que é a instituição responsável pela manutenção dos monumentos da cidade de Sintra, as primeiras referências da existência de uma construção no exato local onde hoje é o Palácio Nacional de Sintra datam do Séc. XI, durante o período do domínio Mouro.
Esta primeira construção teria sido habitada pelos Governantes Mouros até o ano de 1147, quando D. Afonso Henriques - primeiro Rei de Portugal - reconquista as terras de Sintra (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).
Durante o período da Idade Média (até o Séc. XV), o Palácio da Vila foi a residência de verão da Família Real (Fonte: Folder - Parques e Palácios de Sintra).
As primeiras reformas ocorreram entre os Sécs. XIII e XVI, e desde meados do Séc. XVI o Palácio mantém as mesmas características (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).
O reinado de D. Manuel I (1495-1521) foi essencial para impor o estilo decorativo do Palácio Nacional de Sintra. Janelas e portas foram adornadas com o estilo manuelino. O revestimento de azulejo é conhecido como mudéjar, uma herança da influência da cultura mourisca.

Outras curiosidades:

1910 – o Palácio foi classificado como Monumento Nacional português;
1995 – considerado Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO;
2013 – passa a integrar a Rede de Residências Reais Europeias.

palacio nacional de sintra

Entrada do Palácio Nacional de Sintra, no Largo D. Maria Amélia (Foto: Tissiana Souza).

4. VISITANDO O INTERIOR DO PALÁCIO NACIONAL DE SINTRA:

Enquanto o Palácio Nacional da Pena tem uma das vistas mais incríveis da Serra de Sintra, o Palácio Nacional de Sintra tem um dos interiores mais bonitos que conheço! O percurso surpreende a cada novo cômodo, graças ao estilo manuelino-mudéjar e às incríveis decorações presentes no teto de cada sala.
Vamos passear pelos salões deste incrível Patrimônio da Unesco:

-Sala dos Cisnes: uma das primeiras salas da visita ao Palácio. Contém detalhes de azulejos no entorno das portas e das janelas, quadros e móveis.
Foi construída no reinado de D. João I (1385-1433).
Conforme o site Parques de Sintra – Monte da Lua, era o local de recepções e celebrações, e até os dias de hoje mantém essa função. Chefes de Estado de outros países são recebidos pelo Governo Português para banquetes oficiais nesta sala.
Mas porque a sala tem este nome? Bem, é só olhar para o teto e terá a resposta! Há 27 pinturas de cisnes com colarinhos dourados, em estilo “caixotões”.

Sala dos Cisnes, onde ocorrem eventos e recepções do Governo português (Foto: Tissiana Souza).

-Pátio Central: os aposentos de D. João I ficavam voltados para este espaço do Palácio.
O Pátio Central tem influência mourisca, com decoração de azulejos e uma fonte central. Das janelas também é possível ver as chaminés duplas da cozinha.

-Sala das Pegas: cômodo onde os reis recebiam pessoas importantes do reino de Portugal e embaixadores estrangeiros (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).
Mais uma vez, é necessário olhar para o teto! Há 136 pegas (aves da família dos corvos), que seguram uma rosa vermelha com um dos pés. Esta rosa seria uma alusão à Casa de Lancastre da rainha D. Filipa, esposa de D. João I (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).

sala das pegas sintra

Sala das Pegas (Foto: Tissiana Souza).

 

Detalhe do teto da Sala das Pegas, com as aves segurando a frase "Por Bem" (Foto: Tissiana Souza).

 

E as palavras Por Bem, que as pegas seguram com seus bicos?
Segundo o guia Lonely Planet, seria associado a um ato de infidelidade de D. João I! A Rainha D. Filipa pegou o rei no flagra beijando uma de suas damas de honra. Ele teria dito que eram beijos inocentes e todos por bem e encomendou uma pega para cada senhora que estava na fila de espera!

-Quarto D. Sebastião: teria sido o quarto do monarca de mesmo nome durante suas passagens por Sintra. Os azulejos decorativos datam do Séc. XVI (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).

-Sala dos Brasões: para mim, a sala mais bonita e espetacular do Palácio! É, sem dúvidas, o auge da visita!!!
Segundo o site Parques de Sintra – Monte da Lua, a construção da sala teria sido orientada pelos pontos cardeais. Conforme o site, é também o “ponto alto” das intervenções de D. Manuel no Palácio da Vila.
A belíssima cúpula da Sala dos Brasões, conforme as explicações do site Parques de Sintra – Monte da Lua, é formada por:
            -Brasão de Armas Reais: localizado no centro da cúpula, representa o Rei D. Manuel I.
            -8 brasões que circundam o Brasão de Armas Reais: representam os filhos de D. Manuel I com sua segunda esposa, D. Maria. São 6 brasões de armas que representam os descendentes do sexo masculino e 2 losangos, que representam as 2 filhas do rei.
            -Abaixo dos 8 brasões dos filhos há 8 veados.
            -Logo abaixo dos 8 veados, estão os brasões das 72 linhagens mais nobres do reino de Portugal naquele período. Quer saber se o seu sobrenome está na lista?! Então é só acessar o link a seguir:
https://www.parquesdesintra.pt/parques-jardins-e-monumentos/palacio-nacional-de-sintra/pontos-de-atracao/?titulo=o-seu-brasao-de-familia&id=3181

As paredes são lindamente revestidas de azulejos portugueses do Séc. XVIII.

 

sala dos brasões

O ponto alto da visita: a Sala dos Brasões (Foto: Tissiana Souza).

 

sala dos brasões sintra

Detalhe do teto da Sala dos Brasões, com destaque para as armas reais no centro (Foto: Tissiana Souza).

 

-Quarto-prisão de D. Afonso IV: a mando do rei D. Pedro II, o rei D. Afonso VI ficou encarcerado por 9 anos neste quarto, onde acabou falecendo em 1683 (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).

-Capela Palatina: construída no Reinado de D. Dinis (início do século XIV), apresenta pinturas de pombas que são uma referência ao Espírito Santo.
O piso de cerâmica e o teto de madeira são os mais antigos exemplos de trabalho mudéjar em Portugal (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).

 

capela palatina sintra

A Capela Palatina, no Palácio Nacional de Sintra (Foto: Tissiana Souza).

 

-Sala Árabe: era provavelmente os aposentos de D. João I. O destaque são os azulejos que dão o efeito tridimensional, do período manuelino, e a fonte central de bronze dourado (Fonte: Parques de Sintra – Monte da Lua).

-Cozinha: sim, sim!!! Na última parte da visita ao Palácio chegamos finalmente nas grandiosas chaminés, com 33m de altura! Segundo o site do SIPA – Sistema de Informação para o Património Arquitectónico de Portugal, as chaminés cônicas do Palácio Nacional de Sintra foram inspiradas em abadias medievais inglesas e francesas.
A cozinha é grande e bastante espaçosa, com vários fogões a lenha e utensílios domésticos.
Os azulejos brancos que revestem as paredes são relativamente recentes, datando do século XIX.

 

A cozinha do Palácio Nacional de Sintra (Foto: Tissiana Souza).

 

palacio nacional de sintra

A famosa chaminé do Palácio Nacional de Sintra, que é vista de vários pontos da cidade (Foto: Tissiana Souza).

A última soberana a passar pelo Palácio Nacional de Sintra foi a rainha D. Maria Pia de Saboia, que ocupou as dependências do Palácio até outubro de 1910, quando partiu para o exílio junto com outros integrantes da Família Real.

Tapeçarias, utensílios domésticos e móveis, além da decoração das paredes, teto e pisos do Palácio farão você se sentir em tempos muito antigos! Aproveite ainda para contemplar a vista das janelas, de onde você poderá apreciar os jardins do palácio e a vista do Castelo dos Mouros!
Portugal sempre surpreendente!!!!

Endereço

Largo Rainha Dona Amélia, Código Postal: 2710-616, Sintra, Portugal.

Preços para o ano de 2017

Adultos (18 a 64 anos): 8,50 €
Jovens (de 6 a 17 anos): 7,00 €
Sênior (+ de 65 anos): 7,00 €

Horário

Todos os dias, exceto 25 de dezembro e 1º de janeiro.

Até 25 de março de 2017 - das 9:30 às 18:00 horas, última admissão às 17:30 horas.

Para mais informações

Horários, preços, compra de bilhetes, acesse o site dos Parques de Sintra:
http://www.parquesdesintra.pt/parques-jardins-e-monumentos/

Horários e  linhas de trens Lisboa-Sintra/Sintra-Lisboa, acesse o site dos Comboios de Portugal:
http://www.cp.pt/passageiros/pt/

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: