O Coliseu de Roma

Quando pensamos na cidade de Roma, uma das primeiras imagens que vem ao nosso pensamento é o Coliseu! Sim, este espetacular monumento, símbolo da Cidade Eterna, desperta curiosidade pela sua grandeza e por sua história! Era uma estrutura extremamente moderna para o período em que foi construído.
O Coliseu é considerado uma das 7 maravilhas do continente europeu pelo site European Best Destinations. Integra a lista das 7 maravilhas do mundo moderno pela New Open World Foundation, desde 2007. A partir de 1990, o Coliseu, em conjunto com o centro histórico de Roma, passou a ser considerado Patrimônio Mundial da UNESCO.

coliseu

O Coliseu de Roma: é realmente "colossal"! (Foto: Tissiana Souza)

1. COMO CHEGAR:

-Metrô: Estação Colosseo (Linha B). Você sairá em frente à maravilha!

2. O COLISEU: 

Uma visita ao Coliseu faz com que mergulhemos em um universo cheio de fatos curiosos! E não é para menos: são quase 2000 anos de muita história!
A área onde o anfiteatro está localizado era um fundo de vale, que ficava constantemente alagado. Antes da construção, entre 508-44 a.C., os romanos usaram técnicas para drenagem da água do local e construíram casas, edifícios públicos e templos. Após o grande incêndio de Roma, que durou 6 dias, o Imperador Nero construiu um novo palácio no fundo do vale, conhecido como Domus Aurea, onde fez um grande lago artificial retangular cercado por um pórtico.
A incrível arena de gladiadores foi construída a partir de 72 d.C., a mando do Imperador Vespasiano e concluída durante o império de seu filho Tito em 80 d.C. O Coliseu foi erguido no local do antigo lago de Nero e Vespasiano mandou construir este anfiteatro visando ganhar popularidade ao promover os espetáculos para a população, com lutas mortais entre os gladiadores e animais selvagens.
Seu nome original é Anfiteatro Flaviano, porém o nome popular Coliseu está relacionado provavelmente a uma estátua de bronze colossal de Nero que ficava próximo ao anfiteatro.
O Coliseu apresenta o formato de uma elipse, que tem 188m de comprimento e 156m de largura. Tinha capacidade de recebimento de cerca de 55 mil pessoas, que acessavam o anfiteatro por 80 entradas em arco. As pessoas ficavam sentadas em setores, de acordo com sua classe social. O primeiro piso era reservado aos nobres e cavaleiros, no segundo piso ficavam os cidadãos ricos e o terceiro piso era destinado aos plebeus (Guia Lonely Planet: Descubra a Europa, 2014). No podium, perto da arena, ficava o Imperador e os convidados VIPs.

coliseu

O coliseu por dentro! Admirável! (Foto: Tissiana Souza).


A arena, com dimensão de 76m x 44m, era coberta de areia para absorver o sangue e evitar que os gladiadores escorregassem. Hoje, somente um trecho apresenta uma representação de como era a arena, mostrando o hipogeu, a parte do subsolo onde os animais ficavam presos e os espetáculos eram preparados. Para se ter uma ideia de como o Coliseu era uma obra de engenharia avançada, ocorriam simulações de batalhas navais no local onde era a arena. Além disto, outro fato muito curioso é que no 4º nível do anfiteatro estavam presos 240 mastros que seguravam um toldo de lona que fazia sombra para os espectadores.
Originalmente, o Coliseu era revestido por mármore travertino. Estima-se que 100.000 m³ do material tenham sido usados no Anfiteatro, sendo 45.000 m³ somente na fachada! Além disto, outros materiais foram utilizados na construção, como tufo, tijolos e blocos. O travertino era ligado por peças de ferro, que foram removidas há muito tempo e deixaram à mostra os grandes buracos nas paredes do Coliseu. Há uma estimativa de que 300 toneladas de ferro foram utilizadas somente com esta finalidade.
Entre os séculos XV e XVIII, o travertino foi removido do Coliseu para ser utilizado na construção de palácios e igrejas.
A fachada exterior do Anfiteatro Flaviano é uma imitação do Teatro di Marcello (11 d.C.). A altura chega a 52m no anel externo!
Há uma estimativa de que 9.000 animais silvestres/exóticos foram mortos nos jogos inaugurais, em 80 d.C.
Os gladiadores que duelavam durante os espetáculos, em geral, eram homens, escravos, criminosos condenados ou prisioneiros de guerra. Mas também existiram gladiadores do sexo feminino. Os gladiadores eram içados para a arena por meio de um sistema de polias, e chegavam diretamente de seus campos de treinamento por meio passagens subterrâneas (Guia Lonely Planet: Descubra a Europa, 2014). Os gladiadores acessavam o Coliseu pela Porta Triumphalis, o portão NW do Coliseu. Já a Porta Libitinaria, o portão SE, era por onde saíam os gladiadores mortos.
Os combates sangrentos aconteceram até o ano de 404, quando o Imperador Teodósio tornou o Cristianismo a religião do Império Romano.

Visão geral do Coliseu. É possível ver bem o subsolo da arena, onde ficavam os animais (Foto: Tissiana Souza).


O Coliseu já passou por inúmeras reconstruções. Um incêndio em 212 d.C. e diversos terremotos (como os dos anos de 262 e 443) abalaram as estruturas do Anfiteatro, sendo necessárias reconstruções e restaurações.
Mas ainda há algo original da primeira construção? Sim, a parede exterior Norte é a mesma de 2000 anos atrás, com 31 entradas (das 80 existentes), e também parte do esqueleto interno do edifício.
Mais uma curiosidade é que a Piazza del Colosseo é provavelmente um dos poucos lugares de Roma que ainda apresenta o mesmo nível da cidade antiga. Em Roma há uma sobreposição de camadas de edifícios e estima-se que a cidade antiga esteja entre 08 a 15m abaixo do nível atual!
Durante nossa visita, alugamos um áudio-vídeo-guia por 6,00 €, que foi essencial para entender a história do local e tudo o que aconteceu neste anfiteatro. Não deixe de alugar um para sair de lá sabendo mais sobre este espetacular monumento e para que sua visita seja mais completa!
Caminhar pelo Coliseu é realmente impressionante, pois de todos os ângulos você vê algo diferente! Em diversos locais há “mirantes” internos, onde é possível ter uma visão mais apurada de todo o monumento! Este é sem dúvida um passeio imperdível em Roma e também uma das visitas que mais gostamos de fazer na cidade! 
De dentro do Coliseu é possível ver o Arco de Constantino, um arco do triunfo erguido em 315 d.C., e narra a vitória de Constantino contra Massenzio. De dentro do Coliseu vimos também o Tempio (Templo) di Venere e Roma, localizado nas dependências do Foro Romano.

Arco de Constantino, visto do Coliseu (Foto: Tissiana Souza).

 

foro romano

Tempio (Templo) di Venere e Roma, no Foro Romano, visto do Coliseu (Foto: Tissiana Souza).


O Coliseu está adaptado ao recebimento de turistas, com sanitários, visitas guiadas, áudio-guias, acessibilidade a pessoas com deficiência, e loja de livros.

Endereço

Piazza del Colosseo, 1, Código Postal 00184, Roma

Preços para o ano de 2015

Adultos: 12,00 €
Pessoas da UE entre 18 e 25 anos: 7,50 €
Menores de 18 anos (europeus e não-europeus: Gratuito

Todo primeiro domingo do mês a entrada no Coliseu é gratuita

Audio-guia: 5,50 € (duração de 1 hora e 10 minutos)
Audio-video-guia: 6,00 € (duração de 45 minutos)

Horário

Do último domingo de Outubro a 15 de Fevereiro - das 08:30 às 16:30 horas.
Última admissão às 15:30.

De 16 de Fevereiro a 15 de Março - das 08:30 às 17:00 horas.
Última admissão às 16:00.

De 16 de Março ao último sábado de Março - das 08:30 às 17:30 horas.
Última admissão às 16:30.

Do último domingo de Março a 31 de agosto - das 08:30 às 19:15 horas.
Última admissão às 18:15.

De 1º a 30 de Setembro - das 08:30 às 19:00 horas.
Última admissão às 18:00.

De 1° a 24 de Outubro - das 08:30 às 18:30 horas.
Última admissão às 17:30.

FECHADO EM:

1º de Janeiro, 1º de Maio e 25 de Dezembro.

Para mais informações

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: