Visita ao Museu do Diamante, em Diamantina

O Museu do Diamante fica no Centro Histórico de Diamantina, em um casarão de 2 andares, na ladeira da Rua Direita. Este casarão era a residência do Padre Rolim (José da Silva e Oliveira Rolim), que se envolveu na Inconfidência Mineira e chegou a ficar preso em Portugal (Fonte: Site do Museu do Diamante).

museu do diamante

Fachada do Museu do Diamante (Foto: Tissiana Souza).

O Museu é administrado pelo Instituto Brasileiro dos Museus (o IBRAM), órgão ligado ao Ministério da Cultura. Fundado em 12 de abril de 1.954, é considerado um dos mais importantes museus do Brasil pelo seu resgate à história do norte de Minas Gerais.

Apesar do nome, o Museu não é dedicado somente ao Diamante. Possui objetos históricos e artísticos dos mais variados tipos, que contam um panorama geral da região de Diamantina nos séculos XVIII e XIX, que se baseava no tripé diamante-fé-violência (Fonte: Site do Museu do Diamante). Sem a presença desses objetos, não seria possível entender como a sociedade da época se organizava no auge da extração das pedras preciosas.

A visita começa por uma sala onde estão as pedras preciosas que dão nome ao Museu: os diamantes! Na mesma sala, ainda estão objetos utilizados nas lavras, balanças, fotografias e livros de registros de pagamentos do ano de 1778.

museu do diamante

Os lindos e preciosos diamantes! (Foto: Tissiana Souza).

museu do diamante

Livro de registros datado de 1.778 (Foto: Tissiana Souza).

Você sabia que os diamantes se formaram, em média, há cerca de 900 milhões de anos? Pois é! São bem antigos! São estruturas formadas totalmente por átomos de Carbono e considerados os materiais naturais mais duros do Planeta Terra! Somente um diamante é capaz de riscar outro diamante! Mas, apesar da dureza, não são materiais indestrutíveis. É possível quebra-los.

As religiosidade está presente na salas do museu com imagens de santos e oratórios. Um fato bastante curioso é que muitas das imagens estão sem as mãos! Mas por que isso aconteceu?! Foi então que um dos guardas do museu me explicou que as pessoas costumavam fazer chá com as mãos dos santos, visando receber alguma graça divina!

museu do diamante

Sala com imagens e oratórios (Foto: Tissiana Souza).

museu do diamante

Imagens sem os punhos e as mãos (Foto: Tissiana Souza).

Outra parte do museu dedicada à religião católica está relacionada com os Santos de Roca, ou Santos de Vestir. O corpo de madeira universal poderia ser utilizado em qualquer procissão. Eram trocados os braços, pés e a cabeça. Um jogo de peças para ser montado!

museu do diamante

Corpo de madeira dos santos de vestir (Foto: Tissiana Souza).

museu do diamante

Cabeças dos santos (Foto: Tissiana Souza).

museu do diamante

Mãos de santos (Foto: Tissiana Souza).

A parte obscura do museu fica por conta dos objetos utilizados como tortura aos escravos. É realmente muito triste ver as palmatórias, os chicotes e as correntes e saber que milhares de pessoas foram submetidas a tal barbárie!

museu do diamante

Objetos utilizados durante a escravidão (Foto: Tissiana Souza).

O museu contém ainda peças de mobiliária típicas do período dos diamantes, como cama, cômoda, cadeiras sanitárias, cerâmicas e instrumentos musicais.

museu do diamante

Instrumentos musicais (Foto: Tissiana Souza).

museu do diamante

Cama (Foto: Tissiana Souza).

museu do diamante

Cadeira sanitária (Foto: Tissiana Souza).

As visitas guiadas são feitas somente para grupos escolares e visitantes com agendamento prévio pelo telefone (38) 3531-1382 ou pelo e-mail: museudodiamante@museus.gov.br. No entanto, caso você fique com alguma dúvida durante a sua visita, é só perguntar a um guarda! O guarda que me atendeu sabia tudo sobre o Museu!

Faça uma visita virtual pelo Museu do Diamante clicando no link a seguir:

http://eravirtual.org/mdiamante_br/

Endereço

Rua Direita, nº 14, Centro, Diamantina/MG, CEP: 39100-000
Telefone: 55 (38) 3531-1382

Quanto custa?

Gratuito

Horário

De terça-feira a sábado, das 10:00 às 17:00 horas. Domingos e feriados, das 09:00 às 13:00 horas. Fechado às segundas-feiras.

Para mais informações

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: