Caverna do Diabo

A Caverna do Diabo está localizada no Parque Estadual Caverna do Diabo, uma unidade de conservação da natureza existente desde 2008, com o objetivo de preservar as belezas naturais da região. O parque abrange quatro municípios do Estado de São Paulo: Eldorado, Iporanga, Cajati e Barra do Turvo.
No local onde está situada a Caverna do Diabo há uma ótima estrutura de recebimento aos turistas: um restaurante, loja de artesanato, sanitários, estacionamento e um centro de orientação aos visitantes, onde você pode conhecer mais sobre a Mata Atlântica e os atrativos da região. O caminho de acesso à bilheteria da Caverna do Diabo é cercado de Mata Atlântica e totalmente adaptado para os visitantes.
A Caverna do Diabo está situada no município de Eldorado e é sem dúvidas o atrativo mais conhecido do parque estadual!

Caminho para a Caverna do Diabo

Caminho para a Caverna do Diabo - adaptado ao recebimento de turistas. (Foto: Tissiana Souza)

1. COMO CHEGAR  (A PARTIR DE SÃO PAULO):

Pela Rodovia Régis Bittencourt - BR116 até o km 446; Acesso pelo município de Jacupiranga à SP 193 (Rodovia José Edgard Carneiro dos Santos); Acesso pelo município de Eldorado à SP 165; Km 111 (bairro André Lopes) acesso à Serra do André Lopes até o Parque Estadual Caverna do Diabo (Informações retiradas do site da Prefeitura de Eldorado).

2. HISTÓRICO DA CAVERNA DO DIABO:

O nome verdadeiro do local é Gruta da Tapagem, porém, a história fez com que o nome de Caverna do Diabo ficasse mais popular. Foi oficialmente descoberta (catalogada) por Richard Krone (alemão naturalista, zoologista, arqueólogo, espeleologista e pesquisador) no ano de 1891, em trabalho para o Governo do Estado de São Paulo. O pesquisador catalogou cerca de outras 40 grutas no vale do Ribeira.
Antes da chegada de Krone, antigos quilombolas da região já conheciam a caverna, pois utilizavam sua entrada para guardar suas colheitas. Diz a história que os quilombolas sempre encontravam a colheita remexida ou espalhada fora da caverna, acreditando que os animais da floresta faziam isto a mando do diabo. Os sons da água que vinham de dentro da caverna davam a impressão de que pessoas conversavam em seu interior, reforçando ainda mais a ideia de que o diabo estava lá.
A primeira exploração completa da caverna ocorreu em 28 de novembro de 1964, quando um grupo conseguiu atravessa-la em toda a extensão, entrando pela Gruta das Ostras às 10 horas de manhã e saindo pela Gruta da Tapagem às 18:00 horas.

3. A CAVERNA DO DIABO:

A Caverna do Diabo apresenta cerca de 6,5 km de seu interior explorado, sendo considerada a maior caverna do estado de São Paulo. Apesar da grande extensão, somente os primeiros 600m são abertos aos turistas para uma visita guiada com os monitores da caverna, e dura aproximadamente 1 hora.
Lembre-se de respeitar as orientações do guia: não acessar locais fechados à visitação e não tocar nos espeleotemas em formação!
Na entrada da caverna, o ribeirão das Ostras passa a ser subterrâneo e correr por todo o interior ao longo dos 6,5 km. As escadarias de acesso são do lado esquerdo do ribeirão.

Sumidouro do ribeirão das Ostras

Sumidouro do ribeirão das Ostras - local onde o ribeirão adentra a Caverna do Diabo. (Foto: Matheus Sabino)


As adaptações com passarelas, escadas, corrimão e mirantes proporcionam um ambiente seguro a todos os visitantes. A iluminação artificial destaca as formas e cria um ambiente de fascinação! Toda esta infraestrutura foi construída respeitando a topografia interna da caverna, sem gerar impacto visual negativo.

Caverna do Diabo

Salão de entrada da Caverna do Diabo. (Foto: Tissiana Souza)


No seu interior, tudo é em grande dimensão: os salões são gigantescos e amplos e os espeleotemas dos mais variados tipos se destacam pela grandeza e pela variação de cores. Os espeleotemas mais comuns são as estalactites, que crescem do teto em direção ao chão por gotejamento lento da água e lembram lanças; e as estalagmites, que se desenvolvem no chão com direção ao teto, geralmente debaixo de uma estalactite, onde a gota de água cai. As colunas se formam quando uma estalactite e uma estalagmite se fundem.
Outras formações são as cortinas, que surgem no teto inclinado, onde a água escorre ao invés de gotejar; e as cascatas, que se formam nas paredes da caverna também pelo escorrimento da água e lembram cachoeiras.

Caverna do Diabo

Salões amplos e ricos em espeleotemas caracterizam a Caverna do Diabo. (Foto: Tissiana Souza)

Caverna do Diabo

Paredes da caverna - destaque para as cascatas. (Foto: Tissiana Souza)

Caverna do Diabo

Exemplos de cortinas que se desenvolvem a partir do teto da caverna. (Foto: Tissiana Souza)


Você pode imaginar diversos objetos, animais ou pessoas ao observar as estruturas formadas pela ação da água. Deixe sua imaginação voar alto! Eu imaginei, por exemplo, uma Torre de Pisa em um espeleotema que apresentava uma leve inclinação. Além disso, como o próprio guia disse, ocorrem formações semelhantes a couve-flor!

Caverna do Diabo

Estalagmite em formato de couve-flor. (Foto: Tissiana Souza)


Todos os salões da caverna são lindos, mas o mais bonito de todos sem dúvida é a Catedral, onde ficam as Velas de Promessas, dentre elas uma estalagmite com 19m de altura. O teto é tomado por estalactites, como se fosse uma decoração da catedral.

Caverna do Diabo

Salão da Catedral - sem dúvidas é o mais lindo salão da Caverna do Diabo. Destacam-se as estalagmites conhecidas como "Velas de Promessa". (Foto: Tissiana Souza)


E você pode estar fazendo a seguinte pergunta: “Afinal, algo dentro da caverna lembra o diabo?” E a resposta é sim! Mas você vai ter que ir até lá para ver onde está o retrato dele...

No link a seguir, apresentamos um vídeo promocional da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, com as belezas naturais do Parque Estadual Caverna do Diabo:
https://www.youtube.com/watch?v=BV9Ipqn-yO0

Para conhecer a Caverna do Diabo e a Cachoeira de Meu Deus, faça um tour virtual em 360º sem sair de casa! Acesse:
http://www.sferica.com.br/temporario/caverna/

DICAS:

  • É proibido o uso de calçados abertos (chinelo, sandálias, etc.). Use tênis com solado antiderrapante. Apesar de não entrarmos no ribeirão das Ostras, o piso das plataformas são molhados, pois a caverna continua em evolução natural pela ação da água. É bem provável que caia algum pingo na sua cabeça!
  • Para melhorar a visibilidade, leve uma laterna para observar os espeleotemas.
  • Na bilheteria não passa cartão. Leve dinheiro em espécie, e de preferência já trocado. Também não há possibilidade de compra de bilhetes pela internet ou antecipadamente.
  • A caverna apresenta um limite diário de visitantes, de 672 pessoas. Portanto, opte por chegar cedo ao local. 

Endereço

Rodovia SP 165, Km 111, Eldorado - SP

Horário

De terça-feira a domingo, das 8:00 às 17:00 horas.
Feriados prolongados: abertura nas segundas-feiras e fechamento no dia útil subsequente.

Preços para o ano de 2015

Adultos: R$12,00
Menores de 12 anos, maiores de 60 anos e pessoas com deficiência: Gratuito
Estudantes: R$6,00

Obrigatório contratação do serviço de monitoria: R$11,00/pessoa.

Para mais informações

Prefeitura da Estância Turística de Eldorado:
http://www.eldorado.sp.gov.br/

Caverna do Diabo:
http://www.cavernadodiabo.com.br/


Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: