Caminhos do Mar: as curvas da estrada de Santos

Você já ouviu falar na música “As curvas da estrada de Santos”? Uma música bastante conhecida, composta por Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Pois esta postagem trata justamente destas curvas!
Dentro do Parque Estadual Serra do Mar, núcleo Itutinga-Pilões, está a Trilha dos Caminhos do Mar. São 9 km de caminhada monitorada, com nível de dificuldade média e duração de cerca de 6 horas pela chamada Estrada Velha de Santos (SP-148), entre os municípios de São Bernardo do Campo e Cubatão.

 

A descida da Estrada Velha de Santos (Foto: Tissiana Souza).


Atualmente a estrada está fechada para a circulação de automóveis e somente carros autorizados, como por exemplo, viaturas da Polícia Militar ou da Polícia Rodoviária podem transitar pela rodovia.

 

1. INFORMAÇÕES SOBRE A TRILHA:


Para realizar a trilha é necessário fazer um agendamento prévio pelo telefone (11) 2997-5026. Também é necessário efetuar o pagamento antecipado, através de depósito. Aos finais de semana, o passeio custa R$25,00 e tem início às 09:00 horas da manhã. A trilha precisa ser concluída até às 16:00 horas, horário de fechamento do parque.
Grupos fechados com mais de 20 pessoas fazem o trajeto em apenas um sentido. Saindo de São Bernardo do Campo em direção a Cubatão, como nós fizemos, os visitantes descem a estrada. No caminho inverso, Cubatão para São Bernardo, os visitantes sobem a serra.
Atenção para o seguinte detalhe: independente da escolha do sentido único para grupos fechados, é necessário fretar um veículo (ônibus, micro-ônibus) à parte para retornar à cidade de origem, pois a equipe do Caminhos do Mar não conta com meios de transporte para levar as pessoas de volta ao ponto de saída.
Caso você queira fazer a trilha em poucas pessoas, também é possível, porém o percurso será feito até a metade. Exemplo: saindo de São Bernardo do Campo, você descerá até o meio do caminho e depois fará o sentido inverso, subindo até o ponto onde a trilha começou.
Esta trilha faz parte do Projeto Trilhas de São Paulo, da Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo. Os monumentos históricos presentes na trilha, conforme o site energiaesaneamento.org.br, são tombados pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico).

2. COMO CHEGAR (INICIANDO A TRILHA EM SÃO BERNARDO DO CAMPO):

Rodovia Anchieta – pista sul, até o km 29. Acessar a SP-148, observando as placas indicativas para Caminhos do Mar – Pólo Turístico (Fonte: Site Trilhas de São Paulo).

3. DICAS PARA A SUA CAMINHADA:

  • Use calçados e roupas confortáveis;
  • Leve água, lanche para o almoço e outros alimentos energéticos;
  • Leve boné/chapéu e capa de chuva;
  • Use protetor solar e repelente;
  • Leve um saquinho para guardar o lixo que você produziu;
  • Animais domésticos não são permitidos;
  • Bicicletas, skates, carrinhos de rolimã e motos também não são permitidos;
  • Proibido o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Obedeça sempre as orientações do monitor.

4. O PASSEIO:

Partindo de São Bernardo do Campo, nossa caminhada tem início passando pela ponte sobre a Represa do Rio das Pedras, que faz parte do sistema Billings-Cubatão.

 

Represa do Rio das Pedras (Foto: Tissiana Souza).


Em seguida, chegamos na placa de divisa entre os municípios de São Bernardo do Campo e Cubatão, e nos dirigimos para a Casa de Visitas do Alto da Serra. Este local era uma hospedaria, onde ficavam os visitantes das obras da Usina Henry Borden (Fonte: Polo Ecoturístico Caminhos do Mar). Do local é possível ver a Casa de Máquinas da usina. A construção é de 1926, e no interior é há uma maquete mostrando a região da Serra do Mar e da Baixada Santista e uma exposição sobre a Usina Henry Borden. Na casa de visitas há banheiros para os visitantes.

 

 

Casa de Visitas da Usina Henry Borden (Foto: Tissiana Souza).


Começamos nossa descida e chegamos no Pouso Paranapiacaba. O monumento foi construído em 1922 e homenageia a era automobilística (Fonte: Polo Ecoturístico Caminhos do Mar). Reza a lenda de que D. Pedro I e a Marquesa de Santos realizavam seus encontros privados neste local. Mas, isto é lenda mesmo, já que D. Pedro I faleceu em 1834 e a Marquesa, em 1867.

 

Pouso Paranapiacaba (Foto: Tissiana Souza).


No Pouso Paranapiacaba destacam-se o Mapa com as Estradas de Rodagem do estado de São Paulo, de 1923; os azulejos de estilo português; e o visual que temos da Serra do Mar, com a Mata Atlântica, cachoeira e vista da Baixada Santista!

 

A Serra do Mar vista do Pouso Paranapiacaba (Foto: Tissiana Souza).


Descemos mais um pouco e paramos nas Ruínas de uma antiga casa que abrigava os trabalhadores e funcionários que construíram os monumentos dos Caminhos do Mar (Fonte: Polo Ecoturístico Caminhos do Mar).
Paramos em uma curva da estrada de onde pudemos ver a Baixada Santista. O dia não estava com o céu completamente limpo, mas dava para ver o sistema das rodovias Anchieta-Imigrantes e parte de Cubatão.

 

A Baixada Santista pode ser vista na descida dos Caminhos do Mar (Foto: Tissiana Souza).


Passamos pelas tubulações da Usina Henry Borden, por onde desce a água que movimenta as turbinas. A usina está em funcionamento, porém é uma “reserva”, caso haja problema nos sistemas maiores de fornecimento de energia no Brasil. No topo, está a Casa de Máquinas.

 

A Casa de Máquinas da Usina Henry Borden fica destacada na paisagem (Foto: Tissiana Souza).

 

Os nossos amigos ficaram impressionados com o funicular, utilizado para que os trabalhadores da Usina possam acessar a Casa de Máquinas no ponto mais alto das tubulações. Muitos não conheciam o sistema, que se parece muito com um bondinho.
Nosso próximo ponto foi o Belvedere Circular, também de 1922. Foi construído no primeiro ponto de cruzamento entre a Calçada do Lorena e o Caminho do Mar (Fonte: Polo Ecoturístico Caminhos do Mar). O local é um mirante.
Em frente ao Belvedere Circular está a entrada para um trecho de 200m da Calçada do Lorena. Esta é uma construção histórica para o Brasil! Feita em 1792, foi o primeiro caminho pavimentado com pedras na Serra do Mar (Fonte: Polo Ecoturístico Caminhos do Mar). O local, segundo o guia, também era conhecido como Estrada das Mulas, pois era por este caminho que ocorria o transporte de mercadorias, usando o lombo das mulas. Ao caminhar pela Calçada do Lorena, cuidado com as pedras lisas de musgo!

 

A histórica Calçada do Lorena (Foto: Tissiana Souza).

 

É bastante satisfatório saber que andamos em um local historicamente tão importante para o País! Foi por este caminho que D. Pedro subiu a serra em direção a São Paulo, em 1822, para proclamar a Independência do Brasil.
O penúltimo monumento é o Rancho da Maioridade. Também de 1922, o nome é uma alusão à Estrada da Maioridade de 1846, em homenagem à emancipação de D. Pedro II (Fonte: Polo Ecoturístico Caminhos do Mar). Aqui fizemos uma parada para almoço e descanso. O destaque são os painéis de azulejos que retratam figuras políticas importantes da época.

 

O Rancho da Maioridade (Foto: Tissiana Souza).


O último monumento é o Padrão do Lorena. É também um mirante de onde podemos ver a Baixada Santista. No arco há um retrato feito em azulejo do Governador Bernardo José Maria de Lorena, que mandou construir a calçada (Fonte: Trilhas de São Paulo). No mosaico de azulejos, está retratada a atividade de transporte de mercadorias no lombo das mulas.

 

O Padrão do Lorena (Foto: Tissiana Souza).


A partir deste ponto, o guia avisa que desceremos sem parar! Os monumentos acabam, mas inúmeras cachoeiras irão aparecendo ao longo da rodovia! É proibido tomar banho em todas, pelos riscos de acidentes. Podemos dizer que admira-las já é o bastante, pois são todas muito bonitas!

 

Cachoeira vista durante a descida da Estrada Velha de Santos (Foto: Tissiana Souza).


A trilha acaba ao lado dos tanques da Refinaria Presidente Bernardes da Petrobrás, em Cubatão. Na base dos Caminhos do Mar está o Pontilhão da Raiz da Serra, de 1922. Este sim podemos chamar de último monumento da trilha, que marca o início da subida da serra do Mar pela estrada velha de Santos. A placa de 1926 comemora o final da pavimentação da rodovia em 1925, já que esta foi a primeira estrada de rodagem do Brasil revestida em concreto (Fonte: Polo Ecoturístico Caminhos do Mar).
Neste local finalizamos nossa caminhada, que foi bastante agradável! Explorar as velhas curvas da estrada de Santos mostra que é possível fazer um passeio de contemplação da natureza sem ir longe de São Paulo! É uma ótima dica para quem quer fazer um passeio divertido de um dia!

Endereço

Km 42 da Rodovia SP-148, São Bernardo do Campo - SP

Preços para o ano de 2016

Trilha: R$25,00

Para mais informações

Trilhas de São Paulo:
http://trilhasdesaopaulo.sp.gov.br/

Caminhos do Mar - Pólo Ecoturístico:
www.facebook.com/ecoturismocaminhosdomar

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: