Caminhando pelo Centro Histórico de Viana do Castelo

Caminhar por Viana do Castelo é a melhor forma de desvendar as belezas de seu centro histórico! Ruas tranquilas e apertadinhas e construções antigas de no máximo 3 ou 4 andares dão o charme à “Princesa do Lima”. Mais uma vez o Norte de Portugal se revela como um destino excelente de visitas!
Uma tarde de andanças pelas ruas com certeza será inspirador! Acompanhe nosso pequeno roteiro pela cidade!

1. CAMINHADA POR VIANA DO CASTELO – O QUE CONHECER?

Depois de conhecermos o Santuário do Sagrado Coração de Jesus de Santa Luzia e de observar a cidade do miradouro, iniciamos a nossa visita a Viana pela Estação de Comboios (Estação de Trem), onde partem e chegam os trens que fazem parte da Linha do Minho.
A estação está localizada na Av. dos Combatentes da Grande Guerra, uma das principais avenidas de Viana do Castelo.
Em frente à Estação de Comboios estão as estátuas de Manel e Maria, com trajes típicos portugueses. O casal faz um movimento de dança e a saia de Maria parece girar!
No pedestal das estátuas há uma frase: “Hei-de voltar a Viana...”. Certamente é uma excelente ideia!

 

A Estação de Comboios de Viana do Castelo, com as estátuas de Maria e Manel em frente à sua fachada (Foto: Tissiana Souza).

Como disse anteriormente, a Av. dos Combatentes da Grande Guerra é uma rua importante da cidade. Esta via começa na Estação de Comboios e termina na Praça da Liberdade, tendo quase 500m de extensão. Parece pouco, mas a rua tem muita coisa para ver: vitrines com trajes típicos, cafetarias, lojas de souvenires, etc.
Segundo o blog Olhares de Viana, o nome da avenida é uma homenagem aos que estiveram na 1ª Guerra Mundial. Foi construída entre 1917 e 1920.

 

Visão geral da Avenida dos Combatentes da Grande Guerra (Foto: Tissiana Souza).

Durante o passeio, decidimos não seguir reto pela avenida e chegar ao rio Lima. Fomos “recortando” pelo Centro Histórico, com o objetivo de conhecer as estreitas ruas de Viana.
A cerca de 30m das Estátuas de Manel e Maria, viramos à esquerda na Rua Conde Carreira e caminhamos até a esquina com o Passeio das Mordomas da Romaria, onde está a Casa dos Abreu Távora “dos Condes da Carreira”.
Esse enorme sobrado de 2 andares data dos Sécs. XVII/XVIII. Desde 1972, é a sede da Câmara (Prefeitura) Municipal de Viana (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo). Se você estiver com sorte, poderá presenciar as janelas com flores, o que deixa o sobrado ainda mais bonito!
A casa dos Condes da Carreira é considerada um dos mais belos casarões senhoriais de Viana, com portas e janelas de estilo manuelino (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo).

 

A residência dos Condes da Carreira (Foto: Tissiana Souza).

Quase em frente à Câmara Municipal, ainda na Av. Conde Carreira está o Convento de Sant’Ana e a Igreja da Caridade, datados do Séc. XVI ao XX. As freiras beneditinas que habitavam o antigo convento, em tempos mais distantes, eram moças solteiras filhas de nobres senhores vianenses (Fonte: Câmara Municipal de Viana do Castelo).
Após passar em frente ao prédio dos Bombeiros, no cruzamento da Av. Conde Carreira com a Rua Emídio Navarro, visualiza-se o Teatro Municipal Sá de Miranda, um edifício de dois andares na cor rosa. É datado de fins do Séc. XIX e considerado o principal espaço de cultura de Viana.
Retornamos na Av. Conde Carreira até a Câmara Municipal (Casa dos Condes da Carreira). Viramos à esquerda no Passeio das Mordomas da Romaria, um calçadão somente para pedestres.
O Passeio das Mordomas tem cerca de 190m de comprimento. Aproveite essa caminhada sem preocupação para observar as construções!
Ao final do calçadão, chegamos na Praça da República, um dos principais pontos de visita de Viana do Castelo. Segundo o documento Vale do Lima, a Praça da República era conhecida em tempos antigos como “Praça da Rainha” e desde o Séc. XVI é o centro cívico da cidade.
Nesta praça estão diversos pontos históricos para a cidade, como o Chafariz do Séc. XVI, provavelmente concluído em 1559 e obra do mestre João Lopes, “o velho”, apresentando um estilo transitório entre o gótico e o renascentista, esculpido em granito (Fonte: Vale do Lima).
O chafariz teve importância fundamental para os vianenses, sendo por muitos séculos o ponto de abastecimento de água potável para os moradores (Fonte: Câmara Municipal de Viana).

 

O Chafariz da Praça da República, com os antigos Paços do Concelho ao fundo (Foto: Tissiana Souza).

 

Vista geral da Praça da República de Viana do Castelo (Foto: Tissiana Souza).

Na Praça da República está situado um edifício importante da cidade: os Antigos Paços do Concelho, também do Séc. XVI.
Esta construção quinhentista apresenta dois andares, sendo o 1º andar uma sala nobre, a “Câmara”, onde se reuniam os vereadores, e um piso térreo, onde ficavam escribas que redigiam documentos endereçados à Câmara para as pessoas que não sabiam escrever/ler (Fonte: Vale do Lima/Guia da Cidade – Descobrir Viana).
Outra construção quinhentista localizada na praça é o Edifício e Igreja da Misericórdia. É um exemplo de arquitetura renascentista e maneirista, com influência flamenca e italiana (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo).
A fachada com três andares aparentemente lembra um sobrado residencial, porém o interior abriga uma igreja considerada um dos melhores exemplares do barroco em Portugal.
Por último, bem no Coração do centro histórico de Viana, também está o Museu do Traje, que ocupa o antigo prédio do Banco de Portugal desde o ano de 2004.

 

O Museu do Traje, em Viana (Foto: Tissiana Souza).

Seguindo pela Rua Gago Coutinho, uma ruazinha bem estreita atrás dos Antigos Paços do Concelho, chegamos até a Capela das Malheiras, do Séc. XVIII. A arquitetura portuguesa é de estilo rococó, com riqueza de adornos (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo).
O nome do templo religioso é uma referência à família à qual pertencia, os Malheiro Reimão (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo).

 

Capela das Malheiras (Foto: Tissiana Souza).

O Centro de Viana apresenta ruas bastante recortadas, e para chegar ao próximo destino desta caminhada, é preciso “costurar” pelo centro histórico! Mas não existe motivo para preocupação em se perder!

 

As ruas de Viana do Castelo são assim: estreitas, porém convidativas a uma caminhada! (Foto: Tissiana Souza).

Continuando pela Rua Gago Coutinho, e viramos à direita na Rua de São Pedro. Depois, pegamos a direita na Travessa dos Clérigos.
A Travessa fará uma curva para a esquerda, acabando na Igreja Matriz (ou Sé Catedral), edifício do Séc. XV.
No Portal de Entrada, é vista a figura de 6 apóstolos – São Pedro, São Paulo, São João, São Bartolomeu, São Tiago e Santo André. Apresenta estilo gótico (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo).
Seguindo pela Rua Sacadura Cabral, pode-se chegar ao Rio Lima. Mas não é isso que queremos! Vamos continuar um pouco mais pelo centro!
Continuando a caminhada pela Rua Poço (rua quase em frente à porta de entrada da Sé Catedral), chegamos até a Praça da Erva. Atravessamos a praça para sair na Rua da Picota. Viramos à esquerda para ir novamente até a Av. dos Combatentes da Grande Guerra (se você virar à direita na Rua da Picota, chegará à Praça da República).

 

Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, vista na direção da Estação de Comboios (Foto: Tissiana Souza).

Caminhamos em direção ao Rio Lima. Ao final da Avenida chegamos na Praça da Liberdade, onde está o Centro de Informações Turísticas de Viana do Castelo.
A Praça da Liberdade é uma área mais moderna da cidade, onde estão edifícios como a Biblioteca Municipal, por Siza Vieira e o Centro Cultural, planejado pelo arquiteto Souto Moura.
Entre estes dois modernos edifícios está o Monumento em homenagem ao dia 25 de Abril. Foi inaugurado em 25 de abril em 1999, no 25º aniversário da Revolução dos Cravos.
O monumento representa uma porta para a liberdade, com uma corrente quebrada. Parte da corrente fica presa à porta, e o restante da corrente está no chão. É a lembrança do fim dos tempos de ditadura no país.
O Monumento ao 25 de abril tem 16 metros de altura, por 7 metros de largura e é feito em chapa de aço.

 

Monumento em homenagem ao dia 25 de Abril (Foto: Tissiana Souza).

Aproveite para observar o rio Lima! Olhando em sentido ao interior, está a Ponte Eiffel, do Séc. XIX. A Ponte é uma obra da Casa Eiffel e foi inaugurada em 30 de junho de 1878 (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo).
Com a ponte, pôde ser implantada uma ferrovia na região e também houve substituição de uma antiga passagem de madeira que ligava as duas margens do rio (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo).
A Ponte Eiffel tem 563 metros de comprimento, 6 metros de largura, 9 pilares de cantaria em granito, e 2.000.000 de Kg de ferro (Fonte: Guia da Cidade – Descobrir Viana do Castelo).

 

O Rio Lima e ao fundo, a Ponte Eiffel (Foto feita pelo meu pai).

Um pouco afrente do Centro Cultural, na Rua Alves Cerqueira, está o Navio-Hospital Gil Eannes, de 1955. Atualmente, o navio é um museu e Pousada da Juventude.

 

Navio-Hospital Gil Eannes (Foto: Tissiana Souza).

Mais 800m de caminhada e você pode finalizar seu passeio conhecendo o Forte de São Tiago da Barra, um edifício militar que começou a ser construído no Séc. XVI.
Preparados para conhecer Viana?! Eu já estou me sentido preparada para retornar à cidade 😉

Para mais informações

Câmara Municipal de Viana do Castelo - Conhecer Viana:
http://www.cm-viana-castelo.pt/

Visit Portugal:
https://www.visitportugal.com/

Vale do Lima:
http://www.valedolima.com/

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: