São Paulo Verde: Trilha da Pedra Grande

São Paulo é uma caixinha de surpresas! Quanto mais conhecemos e pesquisamos a cidade, mais lugares surpreendentes encontramos!
Nosso destino da vez é a Trilha da Pedra Grande, no Parque Estadual Serra da Cantareira – Núcleo Pedra Grande, na zona Norte da capital.

trilha da pedra grande

Trilha da Pedra Grande no Parque Estadual da Cantareira (Fonte: Google Maps, 2017).

pedra grande

Entrada do Parque Estadual Serra da Cantareira - Núcleo Pedra Grande (Foto: Tissiana Souza).

1. COMO CHEGAR:

-Fomos até a Estação de Metrô Tucuruvi (Linha 1 – Azul) e lá pedimos um Uber até a entrada do Núcleo Pedra Grande (Rua do Horto, nº1.799). A corrida saiu por cerca de R$15,00.
Não há estacionamento por lá e ir de Uber foi uma boa ideia. Os carros dos visitantes do núcleo tem de ficar estacionados na rua, pois veículos de passeio não entram no parque.

2. A TRILHA DA PEDRA GRANDE:

Antes de iniciarmos o relato da trilha vamos ressaltar que é conveniente levar protetor solar, boné, repelente, água e alimentos. O Parque não conta com lanchonetes ou outros espaços de alimentação.
Leve uma sacola para guardar o lixo produzido.
Use um calçado apropriado para caminhadas.
Da natureza, só leve fotos de recordação!
sanitários pelo Parque.

Dados da Trilha da Pedra Grande (extraídos do Site Trilhas de São Paulo):

-Nível de dificuldade alto;
-Extensão: 9,6km (ida e volta);
-Perfil altitudinal: de 848m a 1048m acima do nível do mar;
-Trilha autoguiada nos finais de semana e feriados;
-Horário da Trilha: das 08:00 às 16:00 horas (o Parque funciona até às 17:00 horas);
-Não há limitação para os visitantes: podem ser crianças, cadeirantes, pessoas idosas.

A trilha até a Pedra Grande é feita por uma estrada asfaltada entre a vegetação de Mata Atlântica. Além das árvores e plantas típicas, também há Araucárias bastante altas pelo caminho.

trilha da pedra grande

Subida para a Pedra Grande (Foto: Tissiana Souza).

Para chegar até o mirante da Pedra Grande, a estrada é inteira de subida, o que cansa um pouco!
Há placas de indicação de sentido para a Pedra Grande, e quando nem esperávamos, chegamos até ela! Subimos relativamente rápido!

pedra grande

Chegando na Pedra Grande! (Foto: Tissiana Souza).

Fizemos um lanche, ficamos sentados observando a vista da cidade, as árvores, vendo os aviões passarem (e passam relativamente baixos, suficiente para gerar uma corrente de ar!), conversando e fazendo fotos. A vista é bonita e mostra o contraste do urbano e do natural!

pedra grande

A vista da cidade de São Paulo na Pedra Grande, no Parque Estadual Serra da Cantareira (Foto: Matheus Sabino).

Ali perto há sanitários e um museu, chamado Casa de Pedra, que atualmente parece desativado. Também há um mirante no museu, de onde é possível ver, entre as árvores, o Pico do Jaraguá.

Vista do Mirante da Casa de Pedra (Foto: Tissiana Souza).

Depois de curtir o visual da capital, seguimos em direção Bosque do Lago das Carpas. Para chegar até lá, voltamos pelo asfalto e entramos em uma outra estrada, desta vez de terra e na descida. A distância entre a Pedra Grande e o Lago das Carpas é de 1,7km.

Lago das Carpas

Trilha para o Lago das Carpas, a partir da Pedra Grande (Fonte: Google Maps, 2017).

 

3. BOSQUE DO LAGO DAS CARPAS:

O Lago das Carpas é uma grande surpresa!

lago das carpas

Trilha para o Lago das Carpas (Foto: Tissiana Souza).

Um lugar bonito, repleto de pessoas fazendo piquenique, curtindo o dia e crianças brincando no parquinho.

lago das carpas

O surpreendente Lago das Carpas (Foto: Matheus Sabino).

É uma pena que o Lago está assoreado e não tenha mais carpas. Sentamos no gramado para descansarmos e reforçar o lanche!
Ao longo da caminhada, os visitantes encontrarão placas educativas e plantas identificadas.
Uma das placas fala sobre a “Cantareira”. O que é Cantareira, que dá nome à Serra?
Cântaros eram jarros de barro utilizados para guardar água.
Cantareira eram as prateleiras onde os cântaros ficavam guardados.
Nas plantas, destaque para “mamica de porca” (Zanthoxyllum riedelianum), uma árvore com saliências no tronco; as “embaubas” (Cecropia hololeuca), nas quais vivem as preguiças; e o “palmito juçara” (Euterpe edulis), palmeira nativa da Mata Atlântica, atualmente em extinção.

Para quem quer curtir a natureza, um dia no Parque Estadual Serra da Cantareira é bem gostoso! Ainda há outras trilhas no Parque: a Trilha do Bugio, com 330m, que nós fizemos também e os acessos ficam na estrada pavimentada que leva à Pedra Grande; a Trilha da Figueira, com 1 km de extensão; e Trilha da Bica, de 1,5km.

Endereço

Rua do Horto, 1.799, São Paulo - SP

Preço para o ano de 2017

Entrada para o Jardim:
Estudantes: R$7,00
Adultos: R$14,00
Não pagam: Menores de 12 e maiores de 60 anos de idade; Pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida; Professores da rede pública estadual e das redes municipais de ensino, legalmente identificados; Escolas públicas de primeiro e segundo graus e ensino técnico em visita com finalidade educativa, com autorização prévia da Unidade; Frequentadores rotineiros e moradores do entorno, mediante cadastro autorizado pelo responsável da Unidade.

Horário

Horário da Trilha: das 08:00 às 16:00 horas;
Horário do Parque: das 08:00 às 17:00 horas.

Para mais informações

Cidade de São Paulo - Site oficial de Turismo da Cidade de São Paulo:
http://www.cidadedesaopaulo.com/sp

Mapa de Transporte Metropolitano de São Paulo:
http://www.metro.sp.gov.br/pdf/mapa-da-rede-metro.pdf

Trilhas de SP:
http://www.ambiente.sp.gov.br/trilhasdesaopaulo/

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: