Organizando um roteiro de 4 dias pela região dos Campos Gerais (Paraná)

A organização de uma viagem pelo Estado do Paraná começou por uma curiosidade: conhecer o Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa.

parque estadual de vila velha

Parque Estadual de Vila Velha: lindo, hein gente?!

A partir das pesquisas sobre o P.E. de Vila Velha, fomos descobrindo mais lugares a serem visitados pelo interior do Paraná e resolvemos fazer um roteiro diferente do inicial, que englobaria somente Ponta Grossa.

Estendemos nosso passeio até Tibagi, a Capital Paranaense dos Esportes de Aventura, e ainda de última hora visitamos o Parque Histórico de Carambeí que não estava no nosso planejamento de viagem. 

E assim, conseguimos montar um roteiro de 4 dias muito legal pela região paranaense dos Campos Gerais!

1. CAMPOS GERAIS:

A região dos Campos Gerais é formada por 19 municípios e dentre estes, os que nós visitamos - Ponta Grossa, Tibagi e Carambeí.

A região paranaense conhecida como os Campos Gerais, segundo o site do Governo do Paraná, é caracterizada pelos campos onde crescem as araucárias em contraste com as escarpas que formam os cânions.  

Para saber mais sobre os municípios, acesse o site da Associação dos Municípios dos Campos Gerais:
http://www.amcg.com.br/

2. NOSSO ROTEIRO DE 4 DIAS - DE 25/01 A 28/01/2018:

A) Dia 24/01

  • Saída de São Paulo às 19:00 horas para o Camping do Guartelá, em Tibagi;
  • Distância - 521 km;
  • Tempo de viagem - 7 horas e 30 minutos, com 2 paradas em postos;
  • Chegada - 2:00 da manhã (já no dia 25/01).
  • Preço do Camping (por pessoa/pernoite): R$30,00.

B) Dia 25/01

-Manhã:

  • Às 09:30 horas – saída da Agência de Turismo Parada do Guartelá para a Trilha Completa pelo Parque Estadual do Guartelá, com retorno previsto para 14:30 horas;
  • O P.E. do Guartelá fica a 1,5 km da Parada do Guartelá;
  • Preço: R$35,00/pessoa;
  • Caminhada moderada de 8 km;
  • Obrigatório contratar um guia para a Trilha Completa. Há também uma trilha gratuita autoguiada, na qual os visitantes podem apreciar o Mirante para o Cânion do Guartelá, o Mirante para a Ponte de Pedra e o banho de rio nos panelões;
  • A trilha completa passa por afloramentos de arenito, áreas de mata fechada, pinturas rupestres e mirantes exclusivos para o Cânion do Guartelá no Rio Iapó;
  • Na parte final fizemos as mesmas atividades da trilha autoguiada 
  • Levar água, lanche e snacks - não existe lanchonete no parque, apenas sanitários;
  • Usar protetor solar, boné e repelente.
  • Usar calçado fechado (tênis ou bota de trilha) e roupas leves e confortáveis.
  • Leve uma sacola para colocar o lixo produzido e depois descartar em local apropriado.
parque estadual do guartelá

Parque Estadual do Guartelá: Cachoeira da Ponte de Pedra, com 120 metros e Cânion do Guartelá (Foto: Tissiana Souza).

Retornamos para a Parada do Guartelá e almoçamos lá mesmo! Há muitas opções de lanches, sucos, bolos, etc. Também tomamos café da manhã na lanchonete porque era perto do Camping (400 m de distância).

parada do guartelá

Café da manhã na Parada do Guartelá: um lanche que sustenta e um café com leite para começar bem o dia! (Foto: Tissiana Souza).

Observação: é necessário ir de carro para a agência, pois não há transporte da empresa para os passeios (válido para todas as atividades). 

-Tarde:

  • Às 15:30 horas – Saída da Parada do Guartelá para a Trilha do Índio Miguel;
  • A Trilha do Índio Miguel fica a 2,1km da Parada do Guartelá em uma propriedade particular que tem acesso na mesma estrada do P.E. do Guartelá;
  • Preço: R$30,00/pessoa;
  • Caminhada de 3 km, com 2 horas de duração;
  • Obrigatório contratar guia;
  • Trilha leve com obstáculos naturais;
  • Passamos por afloramentos de arenito, pinturas rupestres e tem como ponto auge a vista do Cânion do Guartelá;
  • Levar água, lanche e snacks;
  • Usar protetor solar, boné e repelente;
  • Usar calçado fechado (tênis ou bota de trilha) e roupas leves e confortáveis.
trilha do índio miguel

Vista espetacular para o Cânion do Guartelá (Foto: Tissiana Souza).

C) Dia 26/01

-Manhã:

  • Às 09:00 horas – Saída da Parada do Guartelá para a Fenda do Nick + Salto da Cotia;
  • As duas atrações ficam em uma propriedade particular a 25km da agência de turismo;
  • Preço: R$60,00/pessoa;
  • Caminhada de 3 km, com duração de 3 horas;
  • Obrigatório contratar guia;
  • Trilha leve com obstáculos naturais;
  • Trilha não indicada a pessoas muito idosas e com deficiências motoras devido à necessidade de passar por pedras, muitas delas têm cerca de 1 m de altura;
  • Uma caminhada sensacional pela Fenda do Nick, que apresenta largura máxima de 1,5 m;
  • Levar água, lanche e snacks;
  • Usar calçado fechado (tênis ou bota de trilha) e roupas leves e confortáveis. Provavelmente seu calçado ficará completamente molhado! É interessante levar um outro calçado de reserva;
  • Levar capa de chuva ou blusa impermeável, pois o ambiente é muito úmido e as águas infiltram pelas rochas. É como se estivesse chovendo dentro da fenda;
  • Para o Salto da Cotia, caminhamos por uma trilha de baixa dificuldade por uns 300 m. É permitido tomar banho de cachoeira. É uma bela cachoeira de 60 m de altura!
fenda do nick

Fenda do Nick: lugar incrível de beleza única! (Foto: Matheus Sabino).

-Tarde:

  • Às 14:00 horas – saída de Tibagi com destino a Ponta Grossa;
  • Paramos na cidade Carambeí na Frederica’s Koffiehuis, uma casa de tortas, onde experimentamos uma torta de chocolate branco, geleia de framboesa e nata aromatizada com lavanda e a Walnotentaart, inspirada em receitas holandesas, com nozes, coco, bolachas e chocolate. Para completar, pedimos um Caffè Holandês (café latte com waffle holandesa de acompanhamento)! Tudo delicioso demais!
    frederica's

    Só de ver a foto da Walno já fiquei com água na boca! Quero comer isso de novo!!!! (Foto: Tissiana Souza).

  • Os pedaços de torta custam entre R$11,00 e R$14,00;
  • Às 16:30 horas – chegada ao Camping da Cachoeira do Rio São Jorge, em Ponta Grossa.
  • Preço: R$25,00/pessoa/pernoite. O pagamento é feito em dinheiro na hora.
  • Fomos conhecer um pouco do espaço e em seguida montamos nossa barraca.
  • Conversamos com o Seu Lorenço, dono da propriedade, “jantamos” um pastel, tomamos banho, li umas páginas do livro que levei, o Matheus fez meditação e fomos dormir cedo.

D) Dia 27/01

-Manhã:

  • Às 7:00 horas – saída do Camping para o Parque Estadual de Vila Velha. Saímos cedo porque o Camping fica a mais ou menos 1 hora do parque;
  • Às 08:10 horas – chegada ao Parque Estadual de Vila Velha;
  • Às 08:30 – Abertura do Parque. Compramos as entradas para as atrações do parque e tomamos café da manhã na lanchonete;
  • Preço: R$10,00 guia/pessoa (pagamento em dinheiro); R$ 4,00/pessoa (Furnas); R$10,00/pessoa (Arenitos). As atrações do parque podem ser pagas em dinheiro ou cartão.
  • Às 09:30 horas– Saída do ônibus do parque para as Furnas - caminhada leve por trilha demarcada com cerca de 1 hora de duração;
  • Às 11:00 horas – Saída do ônibus do parque para os Arenitos - caminhada leve de 3km por trilha demarcada, com cerca de 2 horas e 30 minutos de duração. No final há escadarias, mas é bem tranquilo!
    parque estadual do guartelá

    A Taça: formação de arenito mais conhecida do Parque de Vila Velha (Foto: Tissiana Souza).

  •  É proibido sair da rota estipulada e tocar nos arenitos é considerado crime ambiental! Lembre-se de ver com os olhos, não com as mãos!
  • Levar apenas água. É proibido se alimentar durante as trilhas. O local permitido para consumo de alimentos é na sede do parque;
  • Indicamos usar calçado fechado, roupas leves e confortáveis. Nesta fui de bermuda e não tive problemas.
  • Use protetor solar, repelente e boné;
  • Depois da visita ao Parque, almoçamos no Restaurante Panorâmico, que fica na BR-376 (Rodovia do Café), a 2,8 km do acesso ao Vila Velha. O Restaurante fica em sentido a Ponta Grossa. Há um retorno bem na frente dele. 

-Tarde:

  • Retornamos para o Camping e descemos até a base da Cachoeira do Rio São Jorge pela trilha.
  • Também tentamos tomar banho de rio. Eu disse tentamos porque o dia não estava muito quente e as águas estavam muito geladas!!!
  • A Trilha para a cachoeira é curta, porém difícil por causa da necessidade de passar por blocos de arenitos enooormes, presença de escada e apoio de corda para não deslizar ladeira abaixo!
  • Utilizar tênis ou bota para fazer a trilha;
  • Nossa ideia era visitar o Buraco do Padre durante a tarde do dia 27/01, porém, o local estava fechado e sem previsão de reabertura por causa das fortes chuvas ocorridas na região, que destruíram a trilha do local.
    cachoeira do rio são jorge

    Cachoeira do Rio São Jorge: é bonita, mas só para observação! Dá pra tomar banho de rio antes e depois da cachoeira (Foto: Tissiana Souza).

E) Dia 28/01

-Manhã:

  • O Jardel, que trabalha no Camping, nos levou no mirante do lado oposto da Cachoeira do Rio São Jorge e de lá tivemos a uma das mais magníficas vistas desta viagem: ver toda a queda d´água!
    cachoeira do rio são jorge

    Que vista, piá! Que vista!!! (Foto: Tissiana Souza).

  • Voltamos para o camping, tomamos um banho e pegamos a estrada.

-Tarde:

  • Às 13:00 horas – chegada ao Parque Histórico de Carambeí;
  • Almoçamos no Restaurante Koffiehuis que fica no parque (R$50,00/pessoa - foi nossa refeição mais cara da viagem). Comida à vontade!
  • Após a comilança, visitamos o Parque, um local que reproduz uma vila holandesa e os hábitos de vida dos primeiros imigrantes holandeses que vieram em Carambeí;
  • A visita dura cerca de 2:00 horas;
  • Use repelente, protetor solar boné.
  • Às 16:00 horas - volta para São Paulo. Chegamos em casa por volta das 23:00 horas. 
parque histórico de carambeí

Reprodução de residências holandesas do Parque Histórico (Foto: Tissiana Souza).

3) SITES CONSULTADOS PARA ORGANIZAR A VIAGEM:

-Blog Trilhas e Lugares: Conheça o Parque Estadual do Guartelá; - agradecemos ao Jonas Henrique do T&L que gentilmente respondeu a todas as minhas perguntas sobre o Paraná!

-Blog De Mochila e Caneca: Conheça o Buraco do Padre, uma bela cachoeira perto de Curitiba;

-Prefeitura de Tibagi (Turismo): https://tibagi.pr.gov.br/turismo/;

-Prefeitura de Ponta Grossa (Turismo): http://www.pontagrossa.pr.gov.br/turismo.

-Parque Estadual de Vila Velha (Facebook): https://www.facebook.com/parquevilavelha/ - agradeço pela gentiliza da resposta rápida com todas as informações sobre a visita ao Parque.

-Parada do Guartelá: http://www.guartela.tur.br/ - Agradecemos imensamente à Hellen pela preocupação em responder tudo pelo WhatsApp pessoal! Agradecemos ao Guilherme, nosso guia, pela atenção disponibilizada nos 3 passeios que fizemos com a Parada do Guartelá! Demos muita risada durante as trilhas! Escolhemos fazer todos os passeios com a Parada do Guartelá porque consideramos os mais diferentes e interessantes. A Trilha do Índio Miguel e a Fenda do Nick+Salto da Cotia são exclusivos da agência!

 

 

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: