Portugal: o dia em que fomos roubados

passaporte

Modelo de Passaporte comum brasileiro (Fonte da foto: http://www1.folha.uol.com.br/asmais/2015/07/1655885-10-respostas-sobre-o-novo-passaporte-brasileiro.shtml).

Este post não é uma dica de lugar legal para conhecer!
É um relato pessoal de um perrengue que enfrentamos em uma de nossas viagens!
Ser roubado no seu próprio país já é uma desgraça! Você já fica p* da vida! Agora, imagine ser roubado em outro país! Pois é, isso aconteceu com a gente!
Eu, Tissiana, morei em Portugal por causa de um estágio de pesquisa do meu doutorado. O Matheus foi para lá me visitar durante as férias dele.
Rodamos alguns países da Europa, sempre preocupados com nossa segurança, com as mochilas e com os documentos, pois já cansamos de ouvir relatos de pessoas que tiveram suas carteiras roubadas!
Penso que seja normal da nossa mente relaxar um pouco porque achamos que outros lugares são mais seguros que o Brasil! É aquela velha mania de pensar que a grama do vizinho é sempre mais verde! Atualmente eu não acredito mais na história de que as coisas são sempre melhores fora daqui! Óbvio que algumas realmente são! Também não acredito que exista lugar verdadeiramente seguro no mundo, pois pessoas com más intenções existem em todos os lugares! Mas, que fique claro que esta é uma opinião pessoal! Lógico que vocês podem discordar!
Pois bem, era o último dia do Matheus em Portugal. No dia seguinte ele retornaria ao Brasil. Pegamos nosso carro alugado e fomos conhecer Cascais e o Cabo da Roca (em Sintra).
Quando chegamos no Cabo da Roca, descemos do carro, mas na empolgação de conhecer o lugar, esquecemos a mochila com nossos passaportes, o documento do carro, minha carteira com cartões e dinheiro e o óculos de Sol dentro do carro.
Andamos uns 15 minutos por lá, e quando voltamos ao estacionamento, o carro estava desarmado! O Matheus tinha acionado o alarme do carro e quando chegamos lá, o carro estava destrancado!
A mochila sumiu com tudo dentro! Meu Deus! Que nervosismo! Por sorte, a carteira do Matheus estava guardada no bolso, senão teríamos ficado sem dinheiro nenhum!
No Cabo da Roca existe um guarda que faz a ronda no estacionamento. Enquanto ele deu a volta (e deve demorar 1 minuto para fazer isso), a pessoa foi lá, abriu o carro e levou nossas coisas!
Quanta dor de cabeça! Paramos num posto da polícia em Sintra e fizemos um boletim de ocorrência.
Depois, seguimos para Lisboa, para o Consulado-Geral do Brasil, que fica no bairro do Chiado, no Largo de Camões. O Consulado já estava fechado e pediram para voltarmos no dia seguinte, porém tínhamos mais um problema: o vôo do Matheus para o Brasil sairia do Porto! Iríamos levantar de madrugada, sair de Lisboa para chegar cedo no Porto e devolver o carro lá!
Foram atenciosos conosco e vendo que não tinha como resolver o problema no dia seguinte, expediram uma autorização para que o Matheus voltasse para o Brasil. Para essa autorização, era preciso ainda ter uma foto 3x4! E ele tinha uma velha na carteira!
Eu continuei em Portugal. E tive umas burocracias! Precisei ligar na empresa do Travel Money e pedir um novo cartão, que demorou uns dias para chegar. Eu tinha deixado o dinheiro do aluguel do quarto separado em casa, e foi com esse dinheiro que paguei as contas enquanto o cartão de débito não chegava.
Precisei tirar um novo passaporte no Consulado-Geral do Brasil no Porto, pois era a cidade mais próxima de onde eu morava (Guimarães). O tratamento lá não foi dos melhores! Não sei se são assim com todo mundo, mas foram muito mal educados comigo! Na época paguei 160 euros pelo novo passaporte. O valor atualizado de um novo passaporte para 2016 emitido pelo Consulado-Geral do Brasil em Portugal é de 120 euros, incluindo os casos de roubo.
Além disto, o senhor que me atendeu disse que eu tinha que ter o título de eleitor e a certidão de nascimento comigo de uma forma muito grosseira! Estes não são documentos que carrego por aí todos os dias! Deixo guardado, e como meu tempo de estadia em Portugal era pequeno, não levei estes documentos junto. Na verdade, nem sabia que precisava leva-los comigo! Não estou dizendo que estou certa por não ter os documentos comigo! Mas do jeito que fui tratada, parecia que eu é que tinha cometido o crime!
Ah...o dinheiro para o pagamento do passaporte tem que estar certinho porque eles não devolvem troco! E também não fui informada disso. Vocês tinham que ver a cara do atendente do Consulado quando fui pagar e o dinheiro não estava trocado. Parecia, novamente, que eu era a criminosa! Tive que sair do Consulado e procurar um lugar para trocar o dinheiro. 
Com o passaporte em mãos, o próximo passo foi ter novamente o visto impresso! Precisei marcar um horário na Loja do Cidadão de Braga no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) por telefone, e levar os comprovantes para retirar o visto novamente. Eles informaram tudo o que precisava pelo telefone.
Inicialmente, a responsável do SEF disse que eu não precisava pôr o visto no passaporte de novo. Poderia andar com o passaporte em branco, mas se por algum motivo a polícia me parasse na rua e pedisse algum documento, teria que ter o Boletim de Ocorrência do roubo junto comigo para provar que eu não estava mentindo e que estava lá legalmente. Senão, pararia na delegacia e eles teriam de esperar que SEF entrasse em horário de funcionamento para conferir meus dados e minha situação no país.
Só sei que a mulher me mandou para casa sem resolver meu problema porque disse que era para eu pensar se eu queria mesmo pagar só para ter visto impresso no passaporte. Mas eu queria pôr o visto no passaporte!!! Voltei lá alguns dias depois para iniciar os trâmites! Não lembro quanto paguei na época, mas acho que foram 80 euros. Pesquisei o preço atualizado para 2016 e não encontrei. Quando a papelada estiver aprovada, o SEF liga e marca um horário para que você leve o passaporte para que eles enfim coloquem o novo visto.
No final das contas, passei um mês sofrendo com esse problema!
Na hora de vir embora para o Brasil, o medo de novo! E agora, o que vão falar para mim na imigração!? Vou tomar mais um esporro!? Eu passei na imigração em Zurich, onde fiz a conexão para embarcar para o Brasil. Lá, disse ao policial que tinha sido roubada. Ele foi mais atencioso dizendo que ele estava vendo no sistema e eu fiquei sem o carimbo de saída da União Europeia.
Ao chegar no Brasil, meu novo passaporte foi cadastrado quando passei pela Polícia Federal.


Portanto, não importa para onde você vá viajar! Mesmo que outras pessoas digam que é seguro, não deixe de prestar atenção nos seus objetos! Não deixe a bolsa sozinha enquanto vai ao banheiro, ou o celular sobre a mesa!
Em Portugal, desde a primeira vez que fui, em 2010, já falavam dos carteiristas (batedores de carteira). As indicações eram para sempre tomarmos cuidado com as bolsas! Em 2013, a mãe de uma amiga de pós-graduação teve a carteira roubada no metrô de Roma, e por sorte, não levaram o passaporte dela!
Também em 2013, quando fui a Paris, um colega relatou que tiraram a carteira do bolso dele no metrô! Ele fez um escândalo em francês e jogaram a carteira dele no chão! Também em Paris, em locais como o Louvre, há placas ressaltando o cuidado com os batedores de carteira. Na Torre Eiffel, são feitos anúncios no alto falante pedindo para as pessoas ficarem atentas também com os batedores de carteira!
Na Irlanda, muitos pontos de turismo mais intenso ressaltam para tomar cuidado com os pertences, e em estacionamentos, vimos placas com o indicativo de não deixar bolsas e mochilas dentro do carro, pois também havia o risco de arrombamento do veículo. 
Resumindo: NÃO DÊ SOPA PARA O AZAR! 

Para mais informações

Consulado-Geral do Brasil em Lisboa:
http://cglisboa.itamaraty.gov.br/

Consulado Geral do Brasil no Porto:
http://porto.itamaraty.gov.br/

Consulado Geral do Brasil em Faro:
http://faro.itamaraty.gov.br/

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF):
http://www.sef.pt/portal/

Lojas e Espaços do Cidadão - localize a mais próxima de sua cidade:
https://www.portaldocidadao.pt/

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: