Brasília: Palácio Itamaraty

No final de semana em que estivemos em Brasília, somente o Palácio Itamaraty estava aberto para visitas públicas guiadas.
E lógico, aproveitamos a oportunidade para conhecer o Palácio, que é a sede do Ministério das Relações Exteriores!

palácio itamaraty

Palácio Itamaraty: sede do Ministério das Relações Exteriores (Foto: Matheus Sabino).

palácio itamaraty

Este espelho d'água com plantas brasileiras dá um charme a mais ao palácio (Foto: Tissiana Souza).

1. A VISITAÇÃO:

Conhecer o Palácio Itamaraty é superinteressante!

O Palácio foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e inaugurado em 21 de abril de 1.970.

O Itamaraty é o local para a recepção oficial de autoridades e delegações estrangeiras (Fonte: Blog Oficial do Palácio Itamaraty). O Palácio segue as tradições de sua antiga sede no Rio de Janeiro, recebendo as autoridades com mobiliário, obras de arte e culinária autenticamente brasileiras (Fonte: Blog Oficial do Palácio Itamaraty).

A visita começa pelo vão-livre de 2.200 m², que não apresenta colunas de sustentação! É um espaço totalmente aberto, onde impera a luz natural e o belo jardim projetado por Roberto Burle Marx, com plantas brasileiras.

palácio itamaraty

Vão-livre o Palácio Itamaraty (Foto: Matheus Sabino).

palácio itamaraty

Jardim projetado por Burle Marx (Foto: Matheus Sabino).

palácio itamaraty

Vão-livre observado em direção ao Eixo Monumental. No segundo andar é possível observar o painel de Athos Bulcão (Foto: Tissiana Souza).

Todos os visitantes ficaram sentados próximo à obra Ponto de Encontro (1.970), de Mary Vieira. Esta obra permite a interação com o público. É possível toca-la, e posicionar as 230 placas de alumínio da forma que o visitante desejar (Fonte: Visitando o Itamaraty).

palácio itamaraty

Interação com a obra Ponto de Encontro (Foto: Tissiana Souza).

A parede branca de mármore, ao lado direito olhando em sentido ao jardim de Burle Marx, é de autoria de Athos Bulcão (1.966).

palácio itamaraty

Em primeiro plano, a obra Ponto de Encontro. Ao fundo, a parede de mármore de Athos Bulcão (Foto: Tissiana Souza).

Outro grande destaque é a escada helicoidal sem corrimão, projetada por Milton Ramos e Joaquim Cardoso (Fonte: Visitando o Itamaraty).

Somente o hall pode ser fotografado. Quando a visita passa para o segundo andar, as fotografias não podem mais serem feitas.

O Itamaraty é um verdadeiro museu brasileiro! Há muitas obras de artistas brasileiros natos e brasileiros naturalizados distribuídas pelos seus salões e certamente é um acervo surpreendente!

No segundo andar, na Sala dos Tratados, encontra-se a Treliça (1.967) de Athos Bulcão. O painel é simples e ao mesmo tempo extremamente bonito, com três cores que representam a formação do povo brasileiro: o vermelho representa os indígenas; o preto, os negros; e o branco, os europeus.

Afrente do painel fica a mesa de madeira de jacarandá onde a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea em 1.888. É nesta mesa em que são assinados os tratados internacionais.

A mesa fica voltada para a fachada do Ministério da Justiça e 3 bustos de bronze “testemunham” a assinatura dos tratados: Alexandre de Gusmão, Barão do Rio Branco e Duarte da Ponte Ribeiro (feitos por Bruno Giorgi). Uma simbologia de que tudo o que é acordado tem testemunhas e está sob o olhar da Justiça.

Desta parte do segundo andar, olhamos para o espelho d'água, onde fica o Meteoro (1.967), obra de Bruno Giorgi que pesa 50 toneladas e é feita em mármore Carrara (Fonte: Ministério das Relações Exteriores). O Meteoro é um símbolo do Ministério das Relações Exteriores e parece que está flutuando sobre as águas.

palácio itamaraty

Meteoro: símbolo do MRE (Foto: Tissiana Souza).

No segundo andar fica o acesso às salas do Ministro das Relações Exteriores e do Secretário-Geral das Relações Exteriores.

Geralmente mencionam o Ministro em reportagens, mas o cargo de Secretário-Geral é importante! Tão importante, que o veículo do secretário tem uma entrada exclusiva no Palácio, através de uma rampa que dá acesso para a sua sala de trabalho!

O Mezanino, ainda no segundo andar, é o espaço onde são entregues condecorações e medalhas.

Do mezanino é possível ter uma outra visão do jardim de Burle Marx e presenciar a ilusão de óptica provocada pela escultura situada ao lado da escada helicoidal, chamada Metamorfose (1.957-1.958), de Franz Weissmann, conhecida também como Caleidoscópio. A cada passo dado pelo Mezanino, as formas da obra mudam completamente!

Também no 2º andar está o afresco O Sonho de Dom Bosco (1.966), de Alfredo Volpi. A pintura está relacionada com a profecia de Dom Bosco, considerado o Padroeiro de Brasília (conheça a profecia de Dom Bosco clicando aqui).

Partimos para o 3º andar, rumos às salas de coquetel.

A primeira sala de coquetel chama-se D. Pedro I. Há um incrível quadro nesta sala, Coroação de D. Pedro I (1.828), de Jean-Baptiste Debret, o principal retratador da vida da família real no Brasil e Grito da Ipiranga (1.886), de Pedro Américo de Figueiredo e Melo, quadro original do artista.

No teto, a luminária intitulada Revoada de Pássaros (1.968), de Pedro Corrêa de Araújo, feita em prata, bronze e ferro, dá o toque final! A luminária ainda apresenta cristais goianos, que refletem a luz vinda de uma única lâmpada. esta luminária é simplesmente fantástica!!! No chão, vemos tapeçarias refinadas!

Em seguida, passamos pela Sala de Coquetel Cândido Portinari, onde estão dois quadros do pintor: Os Jangadeiros (1.939) e Os Gaúchos (1.939).

Chegamos à Sala Duas Épocas, que apresenta os quadros Figura (1.951) de Milton Dacosta e Sem Título (1.987), de Tomie Ohtake.

Além das salas de coquetel, há 3 salas para almoços e jantares. Nós visitamos a Sala Brasília, onde é realizado o coquetel de posse da Presidência da República, com capacidade para até 180 convidados. A sala Brasília apresenta uma tapeçaria em lã de Roberto Burle Marx, chamada Vegetação do Planalto Central, com dimensões de 4,15 m X 25,50 m.

Também no 3º andar está o Salão Nobre, com um jardim suspenso projetado por Roberto Burle Marx ,onde estão situadas esculturas femininas: Três Jovens (1.939) de Lasar Segall; Eva (1.965) e Duas Amigas (1.967-1.968), de Alfredo Ceschiatti; Nu Deitado (1.940), de Victor Brecheret; Canto da Noite (1.968), de Maria Martins. O local ainda proporciona uma bela vista do Palácio da Justiça, do Congresso Nacional e da Esplanada dos Ministérios.

palácio itamaraty

Jardim suspenso projetado por Roberto Burle Marx (Foto: Tissiana Souza).

O Itamaraty foi projetado por Niemeyer como Palácio dos Arcos, uma referência aos arcos da fachada. No entanto, o Palácio acabou herdando o nome do “Palácio do Itamaraty”, no Rio de Janeiro.

2. INFORMAÇÕES SOBRE AS VISITAS GUIADAS:

De segunda a sexta-feira, as visitas guiadas devem ser agendadas através do e-mail visita@itamaraty.gov.br às 9:00, 10:00, 11:00, 14:00, 15:00, 16:00 e 17:00 horas.

Nos finais de semana, as visitas são feitas sem agendamento nos seguintes horários: 9:00, 11:00, 14:00, 15:00 e 17:00 horas.

Durante os dias úteis, os visitantes devem ficar atentos ao tipo de vestuário. Não é permitido visitar o Palácio de bermuda, shorts, minissaias, minivestidos, blusas ou camisetas regatas e chinelos.

Endereço

Esplanada dos Ministérios, Bloco H, Zona Cívico-Administrativa, Brasília - DF, CEP: 70170-900

Para mais informações

Portal de Brasília:
http://www.df.gov.br/

​Visite Brasília:
https://visitebrasilia.com.br/

Ministério das Relações Exteriores:
http://www.itamaraty.gov.br/

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: