Museu Van Gogh

Amsterdam, capital da Holanda, vai muito além das Coffeeshops, da Red Light e das baladas!

A cidade apresenta inúmeras opções de lazer, um centro histórico lindíssimo e seus canais são ótimos para um delicioso passeio de barco.

Ainda não está convencido!? A cidade é considerada pelo European Best Destinations 2015 como um dos melhores destinos românticos do continente europeu e o 10º melhor destino para compras.

Trazemos hoje uma dica cultural na cidade: o Museu Van Gogh, considerado o 17º melhor museu do mundo pelo TripAdvisor Traveller’s Choice 2017.

1. COMO CHEGAR: 

-A partir da Estação Central de Amsterdam (Amsterdam Centraal): 

-Tram (equivalente ao VLT no Brasil ou aos elétricos de Portugal): Tram 2, direção Nieuw Sloten, descer na parada Van BaerlestraatTram 5, direção Amstelveen Binnenhof, descer na parada Van Baerlestraat.

Ônibus: Bus 170, direção Uithoorn, Amstelplein, descer nas paradas Rijksmuseum ou MuseumpleinBus 172, direção Kudelstaart, descer nas paradas Rijksmuseum ou Museumplein.

-Tram a partir de outras estações:

A partir da estação Amsterdam Sloterdijk: Tram 12, direção Amsterdam Amstel, descer na estação Museumplein;
A partir da estação Amsterdam Amstel: Tram 12, direção Station Sloterdijk, descer na parada Museumplein;
A partir da estação Amsterdam Zuid WTC: Tram 5, direção Amsterdam Centraal , descer na parada Van Baerlestraat.

2. RESUMO DA VIDA DO ARTISTA:

Vincent Van Gogh nasceu na aldeia de Brabant, em Zundert, a 30 de Março de 1.853. Aos 16 anos, Vincent começa a trabalhar como negociante de artes na empresa Goupil & Cie, o que fez com que o jovem se mudasse em 1.873 para Londres, e em 1.875 para Paris. Apesar do gosto pelas artes, Van Gogh não era feliz no seu emprego. Tentou ainda estudar teologia e trabalhou como pregador da Bíblia em uma aldeia.

O irmão Theo foi o grande incentivador para que Vincent começasse a pintar, já aos 27 anos de idade. Theo também foi o financiador, enviando dinheiro para que Vincent pudesse comprar os materiais necessários para se dedicar à pintura.

Devido a crises depressivas, Vincent ficou internado no Hospital Saint Rémy de Provence. Sua saúde mental era muito oscilante, porém, durante o período em que esteve hospitalizado (entre 1.889 e 1.890), pintou cerca de 150 quadros, um período extremamente produtivo para o artista.

Em 1.890, já fora do hospital, Vincent se mudou para o norte de Auvers-sur-Oise, onde muitos artistas residiam. Além disto, ele estava relativamente próximo de Paris para poder visitar seu irmão Theo. Em julho de 1.890, em uma destas visitas ao irmão, ficou sabendo do desejo de Theo de deixar o trabalho de negociante de artes para abrir sua própria empresa. A possibilidade do futuro incerto com os negócios do irmão e um possível fim da contribuição financeira de Theo fez com que Vincent entrasse em um novo surto mental.

Em 27 de julho de 1.890, Vincent entrou em um campo de trigo e deu um tiro no próprio peito com uma pistola, falecendo no dia 29 de julho.

Um dos fatos mais curiosos da vida do pintor é o fato de ter cortado parte de sua orelha durante uma crise após uma briga com Paul Gauguin, com quem dividia um estúdio na Casa Amarela.

Van Gogh é um pintor da corrente do Pós-impressionismo, que se caracteriza pela cor e bidimensionalidade.

3. O MUSEU: 

Este museu incrível apresenta a maior coleção de obras de Vincent Van Gogh do mundo!

A coleção apresenta 852 obras, sendo que 771 são de Van Gogh! Além disto, mais 49 artistas fazem parte do acervo do museu, como Claude Monet, Camille Pissarro, Émile Bernard, Paul Gauguin, Jean-François Millet, Henri de Toulouse-Lautrec, entre outros. 

van gogh museum

Vincent van Gogh Painting Sunflowers, de Paul Gauguin (1.888). (Foto: Tissiana Souza).

van gogh museum

Vincent van Gogh, quadro de autoria de John Peter Russell (1.886) (Foto: Tissiana Souza).


Aberto 365 dias por ano, o museu é composto por dois edifícios: um principal e uma ala de exposições ligados por um terceiro edifício de entrada.

No edifício principal está organizada a coleção permanente do museu, que além das obras dos 49 artistas, apresenta as diferentes etapas de trabalho da vida de Van Gogh desde o início de sua carreira, passando pela fase japonesa até chegar aos seus últimos quadros.

São 4 andares dedicados ao pintor: no piso 0 encontramos os autorretratos, muito conhecidos na obra de Vincent. O piso 1 está dividido em 8 setores temáticos que contemplam a agricultura, os amigos, a vida em Paris, o Japão. O piso 2 também está organizado em 8 setores, que englobam a família, os amigos, o trabalho. Por último, no piso 3, encontramos a fase final de sua vida artística.

van gogh museum

Self-Portrait as a Painter (1.887-1.888). Autorretrato de Van Gogh (Foto: Tissiana Souza).

van gogh museum

Self-Portrait with Grey Felt Hat (1.887) (Foto: Tissiana Souza).


No edifício de exposições, como o próprio nome já diz, estão as exposições temporárias do museu. 

O mais interessante de ir ao Van Gogh Museum é poder ver pessoalmente obras que são comumente mostradas na TV, nos livros ou que estudamos nas aulas de artes na escola! É pensar: esses quadros realmente existem e estão aqui a centímetros dos olhos!

Eu, Tissiana, me lembro perfeitamente do dia em que a professora disse que teríamos de desenhar "Vaso com Girassóis" durante uma aula. Esse quadro nunca mais saiu da minha cabeça e eu finalmente pude vê-lo com meus próprios olhos, algo que nunca tinha imaginado na vida!

van gogh museum

Sunflowers (1.889) - Vaso com Girassóis, um dos clássicos de Van Gogh! (Foto: Tissiana Souza).


A coleção inclui quadros mundialmente conhecidos. Além de "Vaso com Girassóis" (Sunflowers, 1889), fazem parte do acervo "Os comedores de batatas" (The Potato Eaters, 1885), "Quarto em Ales" (The Bedroom, 1888), "Flores de Amendoeira" (Almond Blossom, 1890), entre outros.

van gogh museum

As belas amendoeiras em flor de Van Gogh (Foto: Tissiana Souza).


O museu é totalmente estruturado para receber seus visitantes, com livraria, loja, café, wifi gratuito, elevadores, escadas rolantes, sanitários, fraldário, e guarda-volumes. O museu também é adaptado para receber cadeirantes.

DICA 1: nem todos os quadros do museu podem ser fotografados! Atente para as indicações presentes ao lado das obras e respeite as orientações do museu para que seu passeio seja divertido.

Além disto, há outras regras internas: não entrar com guarda-chuvas e objetos cortantes; não utilizar celular; não são permitidas gravações; não é permitido fumar; não é permitida a entrada de animais domésticos; não são permitidos alimentos e líquidos.

DICA 2: no site do Museu é possível fazer o download no formato .jpeg das obras, assim como ver o seu acervo permanente online.

Endereço

Museumplein 6, Amsterdam

Preço para o ano de 2015

Adultos: 17,00 €
Menores de 18 anos: Gratuito
Adultos, com guia multimídia: 22 €

Horário

Aberto todos os dias, das 09:00 às 17:00 horas.
Sextas-feiras - das 09:00 às 22:00 horas.

Horários especiais:
25 de Dezembro de 2015 - das 09:00 às 17:00 horas.
De 26 a 31 de dezembro de 2015 - das 09:00 às 18:00 horas.
1º de janeiro de 2016 - das 11:00 às 22:00 horas.
De 02 a 17 de janeiro de 2016 - das 09:00 às 18:00 horas, sextas-feiras até às 22:00 horas.

Tempo estimado de visita:
75 minutos.

Última admissão:
30 minutos antes do fechamento. 

Para mais informações

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: