Museu Frida Kahlo: a incrível casa azul!

Visitar a Museu Frida Kahlo, a famosa casa azul onde a artista mexicana Frida Kahlo nasceu, passou toda a sua vida e morreu não estava nos nossos planos de viagem. Primeiro, porque a casa azul fica longe do centro da Cidade do México. Como eram apenas 3 dias na cidade, decidimos que nos concentraríamos nas atrações mais próximas a nós. Segundo, porque a ideia inicial era conhecer as Pirâmides de Teotihuacan, o que levaria um dia inteiro. Mas, devido aos meus problemas de intoxicação alimentar, decidimos fazer algo pela cidade.

Ao chegarmos na Casa Azul, enfrentamos uma fila de duas horas até comprarmos os tickets de entrada. A fila de espera não era grande, mas grupos tinham prioridade e ingressos antecipados também. Só digo uma coisa: VALEU! VALEU MUITO A ESPERA!

museu frida kahlo

Fila para o Museu Frida Kahlo (Foto: Tissiana Souza).

museu frida kahlo

Entrada do Museu Frida Kahlo (Foto: Tissiana Souza).

Frida Kahlo me encantou desde que vi sua exposição no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, no ano de 2.015. Gosto muito de seus autorretratos, das expressões faciais, das cores vivas e ao mesmo tempo daquela característica melancólica, das flores nos cabelos, das roupas coloridas que expressam a cultura mexicana. Sua história de vida é um tanto dramática, marcada pela poliomielite na infância, pelo acidente de ônibus na juventude e pela incapacidade de gerar um filho.

Todas essas faces de Frida são tão bem expressadas em suas obras que fica praticamente impossível não sentir algo ao observar. Mesmo não sendo uma conhecedora profunda do mundo da arte, eu me emociono com Frida.

1. COMO CHEGAR:

-Metrô: Estação Coyoacán (Linha 3).

A estação fica em frente ao Shopping Center Palacio de Hierro. Pegue a rua Real Mayorazgo e siga até o final (referência Cemitério Panteón Xoco). Vire à direita na Av. México Coyoacán, que após o pontilhão passará a se chamar Av. Centenário. Você caminhará na Av. Centenário cruzar com a Rua Londres. Vire à esquerda na Rua Londres.

O Museu Frida Khalo está na esquina do 2º quarteirão (Rua Londres com Ignacio Allende).

2. VISITANDO O MUSEU:

Frida Kahlo nasceu na casa azul em 6 de julho de 1.907. A casa era de propriedade de seus pais desde o ano de 1.904.

Em 1.929, Frida se casou com o muralista Diego Rivera. O casal viveu na casa entre 1.929 e 1.954, mas também chegaram a morar nos Estados Unidos.

Em 1.939, Frida se divorcia de Diego Rivera, e se casa novamente com ele em 1.930. Eles viveram uma relação cheia de casos extraconjugais (de ambas as partes), mas ao mesmo tempo não conseguiam ficar longe um do outro! O ápice desses casos amorosos foi a relação entre Diego e a irmã de Frida. Há um desenho no museu que retrata muito bem as angústias de Frida.

museu frida kahlo

Desenho de Frida retratando Diego como uma ruína! "Tudo por Nada"! (Foto: Tissiana Souza).

O audioguia do Museu foca muito a relação entre o casal no interior da Casa Azul.

Um passeio pela casa mostra a íntima ligação que Frida tinha com sua família, sobretudo com o seu pai, Wilhelm (Guillermo) Kahlo. A primeira sala do Museu é dedicada aos quadros que Frida pintou de sua família, com destaque para a obra “Retrato de mi padre Guillermo Kahlo” (1.952) e “Mi Familia” (1.949 – não concluído).

museu frida kahlo

Retrato de Guillermo Kahlo, pintado por Frida (Foto: Tissiana Souza).

museu frida kahlo

"Mi Familia", de Frida Kahlo (Foto: Tissiana Souza).

O pai de Frida era fotógrafo e sofria de epilepsia. Frida o acompanhava, já que Guillermo não podia ficar sozinho, podendo até mesmo morrer durante uma crise! Assim, Frida aprendeu técnicas de fotografia.

A gravidez foi um tema muito abordado por Frida. Na verdade, ela tinha uma obsessão pelo sistema reprodutivo feminino. Seus abortos inspiraram diversos desenhos e quadros. Uma destas obras está no museu, é o quadro “Frida y La Cesarea” (1.931 – não concluído).

museu frida kahlo

Frida pintou sua cesárea (Foto: Tissiana Souza).

Outra obra de destaque do Museu Frida Kahlo é “Viva La Vida” (1.954). É o famoso quadro de melancias, pintadas com o cores vermelho sangue. Frida finalizou este quadro oito dias antes de sua morte. O título representa a vontade da artista de continuar lutando para viver.

museu frida kahlo

Viva La Vida (Foto: Tissiana Souza).

Como curiosidade, a música “Viva la Vida” e o CD “Viva la Vida or Death and all his Friends”, da banda Coldplay, foram inspirados em Frida Kahlo. Chris Martin, vocalista da banda, visitou o a Casa Azul em 2007 e disse: “Ela passou por muita coisa, é claro, e, em seguida, começou a pintar um quadro em sua casa que dizia ‘Viva la Vida’. Eu amei a ousadia dela”.

Mais um destaque do acervo do museu é “Naturaleza Muerta” (1.942), quadro que foi encomendado pelo então Presidente da República do México Manuel Ávila Camacho. No entanto, a primeira dama achou que a obra apresentava muitas referências eróticas e o rejeitou.

museu frida kahlo

Natureza Morta (Foto: Tissiana Souza).

A Casa Museu apresenta uma sala dedicada também a Diego Rivera. Alguns quadros estão expostos, inclusive, um deles é uma paisagem pintada em homenagem a Frida. Ao lado, uma frase de Diego: “A la niña Fridita Khalo la maravillosa. El 7 de julio de 1956 a los dos años que duerme em cenizas. Viva en mi corazón” (À menina Fridinha Kahlo, a maravilhosa. Em 7 de julho, aos dois anos que dorme em cinzas. Viva em meu coração).

museu frida kahlo

Quadro de Diego Rivera dedicado a Frida Kahlo (Foto: Tissiana Souza).

Passamos para a Sala de Fotografias. Frida era uma mulher que sabia valorizar seus melhores ângulos e seu olhar nas fotos. O destaque vai para a foto de Frida com um lenço vermelho em torno dos ombros, feita pelo fotógrafo Nickolas Muray, em Nova York, em 1939.

museu frida kahlo

Frida Kahlo, por Nickolas Murray (Foto: Tissiana Souza).

A Casa Azul, em si, já é um convite! É uma moradia espetacular e multicolorida! Facilmente moraria em uma casa como aquela!

Visitamos o Comedor (seria uma Sala de Refeições) com estantes, objetos de decoração, quadros, janelas que deixam adentrar a iluminação solar. Segundo o site do Museu Frida Kahlo, o espaço encontra-se exatamente como Diego e Frida decoraram.

museu frida kahlo

Comedor (Foto: Matheus Sabino).

A Cozinha é um espetáculo à parte, com suas cores e objetos! Frida e Diego gostavam de comida feita em fogão à lenha, bem tradicional! Muitos utensílios domésticos estão dispostos pelas paredes e grandes panelas estão sobre o fogão. A ex-esposa de Diego ensinou diversas receitas para Frida nesta cozinha!

museu frida kahlo

Cozinha da casa azul: linda! (Foto: Tissiana Souza).

Outro espaço da casa interessante é o quarto de Diego Rivera. Após Frida e Diego se casarem pela segunda vez, Diego passou a ter um cômodo próprio. Ele e Frida não dividiam a mesma cama. É um quarto pequeno, porém cheio de objetos de arte. Seu chapéu e seu macacão de trabalho estão pendurados. A sensação é a de que ele a qualquer instante entrará e fará sua preparação para subir ao ateliê.

museu frida kahlo

Quarto de Diego Rivera (Foto: Matheus Sabino).

Saímos do térreo da Casa Azul e subimos as escadarias para o Ateliê/Estúdio. É um espaço fabuloso, dotado de iluminação natural e vista para os jardins! Um ambiente que exala arte!

Pincéis, cavaletes, tintas... Tudo parece estar prontinho para ser utilizado pelos seus donos! Na estante, livros de diversos temas e pastas com documentos organizados. A cadeira de rodas, ao lado de um cavalete, lembra a vida enferma da pintora.

museu frida kahlo

Mesa do estúdio, com utensílios de pintura (Foto: Tissiana Souza).

museu frida kahlo

Organização de documentos do casal (Foto: Tissiana Souza).

Em uma parede, está fixado o espelho já gasto pelo tempo, que Frida usava para produzir seus autorretratos.

museu frida kahlo

O espelho de Frida já nao reflete tanto, mas ainda assim é possível observar os reflexos... (Foto: Tissiana Souza).

Ao lado do Estúdio, encontra-se a cama em que Frida passava parte dos seus dias. Sobre a cobertura, há um espelho dado por sua mãe.

museu frida kahlo

Cama de Frida (Foto: Matheus Sabino).

Há um último cômodo, ao lado do cômodo da cama de Frida. Uma penteadeira com diversos objetos está bem em frente à entrada. Até então, mais um móvel da casa! Sobre ele, a grande surpresa. Frida descansa exatamente ali! Ela está ali! Ao lado esquerdo, em uma urna de estilo pré-colombiano em formato de sapo, as cinzas de Frida descansam! A mulher que nasceu, viveu e morreu na Casa Azul não poderia ter outro destino senão continuar nela!

museu frida kahlo

Urna funerária, onde foram depositadas as cinzas de Frida (Foto: Tissiana Souza).

Descemos as escadas para chegar aos jardins, que também foram muito retratados nos quadros da artista. É um espaço extremamente verde, relaxante, com muitas árvores e plantas!

museu frida kahlo

Jardins do Museu Frida Kahlo (Foto: Tissiana Souza).

museu frida kahlo

Jardins do Museu Frida Kahlo (Foto: Matheus Sabino).

museu frida kahlo

Jardins da Casa Azul com as janelas do estúdio ao fundo (Foto: Matheus Sabino).

O jardim também é praticamente um museu arqueológico! Há muitas peças decorativas de origem pré-hispânica que Diego Rivera colecionava!

museu frida kahlo

Na foto, algumas peças da coleção de Diego Rivera (Foto: Tissiana Souza).

A pirâmide, situada aos fundos do jardim, foi construída na década de 1930, simbolizando a água e a fertilidade. Foi construída na mesma época em que Frida e Diego deram abrigo político a León Trotsky e sua esposa. Neste período, a casa sofreu inúmeras alterações. Grandes janelas foram substituídas por paredes, para que as atividades no interior da casa ficassem mais privativas. Ficou tão privativo que Frida e Trotsky tiveram um caso amoroso!

No anexo da Casa Azul encontramos a exposição “Las Apariencias Enganãn: Los Vestidos de Frida Kahlo”. Esta é a primeira vez que o vestuário de Frida é exposto ao público. As lindíssimas roupas tradicionais escondiam os coletes ortopédicos que davam sustentação à sua coluna e escondiam a diferença entre as pernas da artista.

Além disto, a perna mecânica que Frida usava após sobre uma amputação da perna direita também está exposta.

museu frida kahlo

As aparências enganam: por baixo das belas vestimentas, o sofrimento dos coletes! (Foto: Tissiana Souza).

museu frida khalo

Os coloridos trajes de Frida! (Foto: Matheus Sabino).

Fazem ainda parte da exposição calçados, óculos, colares e flores, acessórios que apesar de serem antigos, continuam super atuais!

museu frida kahlo

Acessórios de Frida Kahlo (Foto: Matheus Sabino).

O Museu Frida Kahlo apresenta ainda sanitários, uma loja e um café.

Para fotografar, é necessário pagar e utilizar uma autorização fixada na roupa em lugar visível. Há guarda-volumes na entrada.

Caso você não tenha a possibilidade de visitar o Museu, aqui vai um extra: é possível fazer uma visita virtual pelo seu computador no link: http://www.museofridakahlo.org.mx/esp/1/el-museo/multimedia/visita-virtual

Endereço

Calle Londres, nº 247, Del Carmen, Coyoacán
Código Postal: 04100,  Cidade do México, México

Quanto custa?

$200,00 pesos mexicanos (em dias de semana); $220,00 pesos mexicanos (aos finais de semana).

Horário

Terça-feira , das 10:00 às 17:30 horas; Quarta-feira, das 11:00 às 17:30 horas; De quinta-feira a domingo, das 10:00 às 17:30 horas.   A cafeteria e a loja fecham sempre às 17:00 horas. Fechado nos dias: 1º de janeiro, 21 de março, 1º de maio, 16 de setembro, 14 de dezembro, 24 de dezembro, 25 de dezembro, 31 de dezembro.

Para mais informações

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: