O Museu do Futebol e o Estádio do Pacaembu, São Paulo

O Museu do Futebol está localizado no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – o Estádio do Pacaembu – na cidade de São Paulo.
É considerado pelo Prêmio TripAdvisor Traveller’s Choice 2016 como o 6º melhor museu do Brasil!
Foi inaugurado em 28 de setembro de 2008 e ocupa 6,9 mil m² de área embaixo das arquibancadas verde e amarela do estádio.
Nós fomos conhecer o Museu em um sábado, dia em que a visitação é gratuita! Nós aproveitamos para fazer uma visita educativa (guiada) pelo museu e assim pudemos conhecer mais sobre a história do futebol e do Estádio do Pacaembu com as informações dos monitores. 

 

estádio do pacaembu

Fachada do Estádio do Pacaembu, em São Paulo (Foto: Tissiana Souza).

 

1. COMO CHEGAR:

-Metrô: Estação Clínicas (Linha 2 – Verde), que fica a 1,7 km do Estádio do Pacaembu.
Nós fizemos o caminho que estamos acostumados. Saia na Av. Doutor Arnaldo na calçada do Cemitério do Araçá, em direção à Rua Major Natanael. Vire à esquerda na Rua Major Natanael e desça a rua até fazer uma curva suave novamente para a esquerda para a Praça Helena Sgarbi Salto (já no muro do Clube Público que fica atrás do Estádio do Pacaembu). Continue em frente na Rua Des. Paulo Passaláqua até chegar às escadarias do lado direito da calçada. Desça as escadarias e você estará na Praça Charles Miller, em frente ao estádio.
Também existem diversos pontos de ônibus circulares no entorno do Pacaembu. Para consultar uma linha que vá até o estádio, aconselhamos entrar no site da SPTrans: http://www.sptrans.com.br/

 2. NOSSA VISITA:

 A visita monitorada teve como ponto de encontro a maquete do Estádio do Pacaembu localizada na Grande Área, o hall de entrada do museu. A maquete fica ao lado do guarda-volumes e próximo aos sanitários do térreo.
A primeira etapa da visita guiada foi caminhar em torno do gramado do Estádio do Pacaembu. Nós fomos várias vezes assistir jogos do Palmeiras no estádio, e vê-lo por outra perspectiva foi muito diferente e enriquecedor!
A visita fica ainda mais interessante com a história do estádio sendo contada pelos monitores!

 

Caminhada em torno do gramado do Estádio do Pacaembu. Oportunidade de vê-lo por um ângulo diferente! (Foto: Tissiana Souza).

 

 História e curiosidades sobre o Estádio do Pacaembu:
-Nome Oficial: Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho;
-Inauguração: 27 de abril de 1940, sendo na época considerado como o maior e mais moderno estádio da América Latina;
-Desfile de inauguração: contou com a presença do então Presidente da República Getúlio Vargas e do Prefeito da cidade de São Paulo, Prestes Maia. Era um período de instabilidade política e o presidente foi recebido com muitas vaias e protestos;
-O homenageado: Paulo Machado de Carvalho (1901-1992) foi chefe da delegação brasileira nas copas de 1958 e 1962. Há um busto em sua homenagem próximo à entrada dos vestiários e da arquibancada conhecida como “Tobogã”;
-Capacidade: atualmente 40 mil pessoas são acomodadas no estádio, mas na época de sua inauguração a capacidade era de 70 mil pessoas;
-1º jogo: aconteceu no dia 28/04/1940, entre Palestra Itália e Coritiba;
-1º gol do estádio: foi marcado por Zequinha, pelo Coritiba. Porém, o jogo foi vencido pelo Palestra Itália por 6X2;
-O Palestra Itália também foi o primeiro time a conquistar um título no estádio: a Taça Cidade de São Paulo de 1940 (equivalente ao um 1º turno do Campeonato Paulista);
-1950: O Pacaembu recebeu jogos da Copa do Mundo. A seleção brasileira jogou apenas 1 vez no estádio durante a copa, empatando com a Suíça em 2X2 ainda na primeira fase;
-1963: o Pacaembu e o Complexo Poliesportivo que fica atrás do tobogã foram os principais centros de competições da 4ª edição dos Jogos Pan-americanos, com boxe, natação, saltos ornamentais e atletismo;
-O time que mais jogou no estádio foi o Corinthians;
-O estádio é tombado pelo Condephaat desde 1998, o que implica na manutenção arquitetônica de sua fachada;
-O estádio foi construído aproveitando-se das características naturais do bairro: o gramado está localizado em uma área que era naturalmente alagada e as arquibancadas laterais foram construídas sobre as encostas inclinadas dos morros. Por esse motivo, existe um piscinão abaixo da Praça Charles Miller construído em 1994, com capacidade para 74 mil m³ de água, área de 15 mil m² e profundidade útil de 5,6 m.

 Após darmos uma volta completa em torno do gramado, voltamos para a Grande Área do Museu do Futebol. Os monitores mostraram duas réplicas das taças que os campeões da Copa do Mundo já tiveram o prazer de levantar.
A taça Jules Rimet é mais folclórica, pelo fato de ter sido roubada de dentro da Confederação Brasileira de Futebol, em 1983, e nunca mais ter sido encontrada. Segundo o regulamento da Fifa, o país que vencesse a Copa do Mundo por três vezes ficaria definitivamente com o troféu. O Brasil, ao ganhar o tricampeonato na Copa de 1970, obteve os direitos de ficar para sempre com a taça... até acontecer o roubo!
A atual Taça da Copa do Mundo foi criada em 1970 em substituição à Taça Jules Rimet. Diferentemente da taça anterior, esta não ficará em definitivo com nenhum país. Os nomes dos campeões são gravados na base e os países vencedores recebem uma réplica.
Nós visitantes pudemos tirar fotos com as réplicas das taças e sentir o “peso da vitória”!

 

 

museu do futebol

Matheus sentindo o peso da vitória, com a réplica da taça Jules Rimet (Foto: Tissiana Souza).

Na Grande Área, as paredes estão forradas de quadros com fotos, desenhos e imagens de objetos (bandeiras, cartazes, etc.) que são itens de colecionadores. É uma homenagem à paixão dos brasileiros pelo futebol.

 

Grande Área: o início da visita pelo acervo do Museu do Futebol (Foto: Matheus Sabino).

Ao subir as escadarias, você encontrará Pelé fazendo uma saudação (em português, espanhol e inglês) de boas-vindas ao Museu do Futebol!
Em seguida passamos para a sala “Pé na Bola”, onde as 5 telas de TV mostram pés jogando futebol em diferentes terrenos e situações! Assim começa uma jornada interativa pelo Museu!
Entramos na sala Anjos Barrocos, onde há 11 telas suspensas no ar que projetam fotos de grandes nomes do futebol: Zico, Garrincha, Pelé, Ronaldo, Rivaldo, Roberto Carlos, Romário, Carlos Alberto, Ronaldinho Gaúcho, Marta, Formiga, entre outros nomes. Os atletas parecem estar em movimento e flutuando no ar como anjos! Nesta sala ainda há um painel com informações sobre todos os jogadores projetados nas telas.

 

museu do futebol

A sala Anjos Barrocos do Museu do Futebol. Marta e Formiga representam as heroínas do futebol feminino (Foto: Tissiana Souza).

Passamos para a sala dos Gols. Aqui, nós podemos escolher na tela da TV os gols e as jogadas que foram considerados marcantes na vida de diversos jornalistas esportivos. Você tem a opção de escolher o gol que quer assistir pelo narrador ou pela jogada. Você também tem a alternativa de ouvir as locuções de grandes jogadas na Sala dos Rádios.
Em seguida passamos para a sala Exaltação, que fica no 2º pavimento. Esta sala fica embaixo das escadarias e tem cheiro forte de umidade! Ela foi montada em meio às estruturas de sustentação do Pacaembu, no contato entre a arquibancada e a terra do morro que sustenta o estádio.
O som dos cânticos das torcidas neste espaço é alucinante, enquanto os telões mostram momentos de 29 torcidas de times brasileiros. É como se você realmente estivesse em um estádio assistindo uma partida de futebol!
Nos dirigimos para a sala Origens, onde a monitora do museu mostrou uma foto de Charles Miller, considerado o fundador do futebol no Brasil no final do século XIX. Aqui também é tratada a questão racial e a desigualdade de gênero no futebol.

 

Sala Origens, com fotos da época em que o futebol surgiu no Brasil (Foto: Tissiana Souza).

O primeiro clube brasileiro a ter um jogador negro foi o Bangu, do estado do Rio de Janeiro.
Já as mulheres no início do século XX praticavam futebol, porém o Decreto Lei nº 3199, de 4 de abril de 1941, proibiu a “prática de esportes incompatíveis com a natureza feminina” e entre os esportes estava o futebol. Este decreto foi revogado somente em 1979! Como mulher, considerei um total absurdo, já que todas as pessoas têm capacidade de praticar o esporte que quiserem! 
A sala Origens mostra diversas fotografias do final do século XIX até a década de 1930, mostrando um pouco do contexto histórico da época em que o futebol ainda era um esporte amador e seus praticantes buscavam a profissionalização. São mais de 400 fotografias antigas!
A sala seguinte chama-se Heróis. É uma sala de projeções que mostra personalidades importantes do Brasil entre 1930 e 1940, época em que o país buscava uma identidade social e cultural. Nas projeções estão Heitor Villa-Lobos, Carlos Drummond de Andrade, Gilberto Freyre, Cândido Portinari, Carmen Miranda, Ary Barroso, Leônidas da Silva, entre outros nomes.

 

museu do futebol

Sala Herois (Foto: Tissiana Souza)

Entramos no Rito de passagem. Nesta sala está projetada uma das maiores decepções do futebol brasileiro: a derrota para o Uruguai na final da Copa do Mundo de 1950, o famoso Maracanaço. As batidas de um coração trazem a angústia relacionada com a perda do título.
Na sala Copas do Mundo há 8 totens em forma de troféus, com vídeos e fotos que contextualizam o período social, econômico, cultural em que ocorreram as Copas do Mundo. É muito interessante olhar as fotografias e relembrar diversos fatos históricos!

 

A sala Copas do Mundo (Foto: Tissiana Souza).

Após passarmos pela sala das Copas, chegamos ao espaço dedicado a Pelé e Garrincha, onde há fotos e jogadas desses dois atletas, considerados os maiores atletas de futebol do Brasil.
Cruzamos a Passarela Radialista Pedro Luiz, de onde temos uma bonita visão da Praça Charles Miller!

 

praça charles miller

Praça Charles Miller vista da passarela do Museu do Futebol (Foto: Tissiana Souza).

Chegamos então à segunda parte do Museu: Números e Curiosidades. Neste espaço estão as regras de futebol, os nomes das jogadas, os números relacionados ao esporte no Brasil (maior goleada, maior público pagante, menor público pagante, maior número de jogadores expulsos, etc.), superstições, futebol feminino e outras coisas relacionadas ao esporte.

 

museu do futebol

As curiosidades sobre o futebol (Foto: Tissiana Souza).

 

museu do futebol

As mulheres também têm seu espaço no museu! (Foto: Tissiana Souza).

Saindo da sala de números e curiosidades, nos dirigimos para a arquibancada do estádio, de onde pudemos observar o Pacaembu de um outro ângulo!

 

museu do futebol

O Estádio do Pacaembu visto da arquibancada (Foto: Tissiana Souza).

Descemos as escadarias e chegamos ao Jogo de Corpo. Aqui, os visitantes podem testar se são bons de chute batendo um pênalti!
A visita termina na Homenagem ao Pacaembu, uma exposição permanente com informações e fotos sobre o estádio.

* * *

O Museu do Futebol conta com elevadores e escadas rolantes. O museu é totalmente acessível a pessoas com mobilidade reduzida.
Em dias de jogos há horários especiais de funcionamento. O ideal é pesquisar no site do Museu do Futebol se haverá algum evento esportivo no dia de sua visita.
Quem vai ao museu de carro pode deixá-lo estacionado na Praça Charles Miller. É necessário o uso da Zona Azul, que custa R$5,00 e é válida por 3 horas.
Há uma loja do lado de fora do museu – a Futebol Super Store – que vende camisetas de times nacionais e internacionais, souvenires e outros produtos ligados ao futebol.

Endereço

Praça Charles Miller, s/n, Estádio do Pacaembu, São Paulo - SP.

Preço para o ano de 2016

Inteira: R$9,00
Meia-entrada: R$4,50
Aos sábados o museu é GRATUITO.

Horário

De terça a sexta-feira, das 9:00 às 16:00 horas (permanência até às 17:00 horas)

Sábado, domingo e feriado, das 10:00 às 17:00 horas (permanência até às 18:00 horas)

Fechado às segundas-feiras

Horário diferenciado em dias de jogos no Pacaembu

Para mais informações

Museu do Futebol:
http://www.museudofutebol.org.br/

Cidade de São Paulo - Site oficial de Turismo da Cidade de São Paulo:
http://www.cidadedesaopaulo.com/sp

Mapa de Transporte Metropolitano de São Paulo:
http://www.metro.sp.gov.br/pdf/mapa-da-rede-metro.pdf

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: