A Vila de Óbidos: Portugal medieval

Ah Portugal! Portugal e suas joias! Um país surpreendente, de grande diversidade de paisagens em um território de 92.212 km² (pouco menor que o estado brasileiro de Santa Catarina, que tem 95.733 km²).
A cerca de 80 km ao Norte de Lisboa, localiza-se o município de Óbidos. Com uma localização privilegiada junto ao Oceano Atlântico, Óbidos apresenta uma ocupação muito antiga ligada aos fenícios e, com maiores evidências históricas, aos romanos. Em 11 de janeiro de 1148, o então primeiro rei de Portugal – D. Afonso Henriques – toma a cidade dos árabes durante a reconquista cristã do território português.
O histórico terremoto de 1755 deixou marcas na Vila de Óbidos, provocando a destruição de monumentos e de parte da muralha que cerca a cidade (Fonte: Câmara Municipal de Óbidos).
Surpreendente, esta Vila vai fazer com que você fique encantado(a) com suas charmosas ruazinhas estreitas e suas muralhas protetoras! Acompanhe nesta postagem nosso passeio de 1 dia por esta incrível vila medieval, que é Monumento Nacional desde 1951 e que tem seu Castelo considerado como uma das 21 maravilhas de Portugal!

1. COMO CHEGAR: 

-Carro: Pela Via A8, partindo de Lisboa com a sentido Leiria. O tempo de viagem é de 40 a 50 minutos.

-Comboio (Trem): Partindo da estação Lisboa-Santa Apolônia até a estação de Óbidos. O tempo de viagem é de cerca de 2 horas; o preço das passagens (ano de 2015) é de 8,75€ a 8,85€, a depender do horário (ida e volta 17,70€). A estação de comboio de Óbidos fica fora da muralha, a cerca de 1,5 km da Porta da Vila.

-Autocarro (Ônibus): Saindo do terminal Lisboa-Campo Grande, com tempo médio de 1 hora de viagem. O preço da passagem é de 7,60€ (ida e volta 15,20€) 

2. A VILA DE ÓBIDOS:

O passeio se inicia pela Porta da Vila, a entrada principal para a parte da cidade localizada dentro das muralhas. O mosaico de azulejos portugueses, de estilo barroco, data de cerca de 1740-1750 e apresenta motivos relacionados com a Paixão de Cristo.

 

Porta da Vila - entrada principal de Óbidos (Foto: Tissiana Souza).


Ao adentrar, siga pela Rua Direita, que é a rua principal do local. A rua tem este nome desde o Século XIV. É uma rua estreita somente para pedestres, com lojas de artesanato, restaurantes e hotéis. As construções são realmente um charme, todas em cores brancas e em sua maioria com detalhes em amarelo.

 

Rua Direita - a principal rua da Vila de Óbidos, com seu comércio (Foto: Tissiana Souza).


As ruas são todas muito apertadinhas! A dica é que se você vai de carro a Óbidos, não poderá entrar com o veículo na Vila. Somente os moradores estão autorizados a circular com seus automóveis pelo local. 
Na Rua Direita, não deixe de provar a Ginja ou "ginjinha d’Óbidos" no copo de chocolate em alguma das lojinhas. A Ginja é um licor adocicado feito a partir do fruto da ginjeira, que se assemelha à cereja. É considerada uma “alquimia divina”, cuja receita original é dos monges beneditinos da Ordem de Cister. Até hoje, a receita completa é um segredo, o que aumenta a curiosidade sobre a bebida.
Seguindo pela Rua Direita você chegará na Praça de Santa Maria, datada do Século XVI e relacionada com as reformas urbanísticas de D. Catarina de Áustria, esposa de D. João III. Nesta praça está localizada a Igreja Matriz de Santa Maria, datada originalmente de 1148 e reconstruída no Século XVI. Outros pontos importantes da praça são o Chafariz da Vila, datado de 1575, e o Pelourinho, uma coluna de pedra que representa o poder municipal.

 

Igreja Matriz de Santa Maria (Foto: Tissiana Souza).


Continue pela Rua Direita e ao final dela você estará na Igreja de São Tiago. A edificação original datava de 1186, construída a mando do rei D. Sancho I, segundo Rei de Portugal (entre 1185-1211). Era a igreja usada pela Família Real em suas passagens por Óbidos. Durante o terremoto de 1755, a Igreja original foi totalmente destruída e reconstruída em 1772.

 

Igreja de São Tiago, reconstruída após o terremoto de 1755 (Foto: Tissiana Souza).

 

Rua Direita, vista da praça da Igreja de São Tiago (Foto: Tissiana Souza).


O Castelo de Óbidos é provavelmente de origem romana, servindo como fortificação durante a ocupação árabe. Após a reconquista cristã por D. Afonso Henriques, foi ampliado diversas vezes. No século XX, após uma restauração, foi instalado no local a Pousada Castelo de Óbidos. A visitação interna do Castelo não é permitida, já que se tornou um estabelecimento comercial.

 

Castelo de Óbidos, de origem romana. Atualmente é uma pousada (Foto: Tissiana Souza).


Após percorrermos parte da Vila a pé, subimos as muralhas! Há diversos pontos de acesso para a subida. Com total de 1,5 km de extensão, o tempo para percorrer a muralha em volta da vila é de cerca de 2 horas. É necessário cuidado, especialmente com as crianças, pois não há uma cerca de proteção no local. 

 

Igreja de Santa Maria vista das muralhas de Óbidos (Foto: Tissiana Souza).


A vista das muralhas é surpreendente, proporcionando uma visão de toda a vila e também dos terrenos situados fora de suas dependências, como a outra parte a cidade e os campos de cultivo. Nas torres, a visão é ainda mais privilegiada, pois estas são mais altas que o restante da muralha!

 

As muralhas e a Vila de Óbidos vista de uma das torres de observação (Foto: Tissiana Souza).


Dentro das muralhas ainda há outros pontos turísticos, como a Igreja de São João Baptista, a Porta do Vale ou Senhora da Graça,  a Igreja de São Pedro, a Capela de São Martinho, e a Igreja da Misericórdia.
Fora das muralhas estão o Santuário do Sr. Jesus da Pedra, o Aqueduto, e a Ermida de Nossa Senhora do Carmo.

 

Santuário do Sr. Jesus da Pedra, fora do domínio das muralhas (Foto: Tissiana Souza).

Para mais informações

Sobre outras atrações turísticas no município de Óbidos:
http://www.obidos.pt/

Horários e compra de passagens de comboio (trem):
http://www.cp.pt

Horários de autocarros (ônibus) Lisboa (Terminal Campo Grande)-Óbidos. Selecione a opção "rápidas", linha verde:
http://www.rodotejo.pt

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: