Kilmainham Gaol

Como é estar preso? Como é se sentir em um presídio? Como é a vida de um presidiário? Estas são questões que só uma pessoa que passou por esta situação pode responder.
E você? Já pensou em conhecer um antigo presídio? Isso não tinha passado pelas nossas cabeças até conhecermos a antiga prisão de Kilmainham Gaol, em Dublin.

kilmainham gaol

Entrada da prisão (Foto: Matheus Sabino).

O que era uma cadeia no passado, hoje é um museu aberto ao público. Para conhecer a prisão, é obrigatório fazer a visita guiada, o que acaba sendo um ponto positivo, pois assim conhecemos diversas histórias sobre o local. São até 35 pessoas por tour guiado, que dura cerca de 1 hora. O passeio completo (prisão+museu) leva cerca de 90 minutos.
Este passeio é um tanto diferente, mas foi um dos mais interessantes que fizemos em Dublin! O guia interpretava com entonações na voz as partes mais tensas da visita, o que criava um clima de mistério e suspense, que realmente combinava com um lugar que carrega uma carga de dramaticidade muito grande!

1. COMO CHEGAR:

-LUAS: Estação Suir Road (Linha Vermelha). Vire à esquerda na R111/Dolphin Rd. Depois vire à esquerda na Inchicore Rd/R839. A entrada da Kilmainham Gaol fica quase em frente ao hotel Hilton.

2. CONHECENDO A PRISÃO:

A visita guiada começa pela Capela, onde assistimos um filme em inglês (e legendado em inglês) que contava uma parte da história da prisão.

kilmainham gaol

A Capela Católica no interior da Kilmainham Gaol (Foto: Matheus Sabino).

Segundo o site da Kilmainham Gaol Museum, existem duas capelas dentro da cadeia: uma Católica e uma Protestante (as duas principais religiões da Irlanda). No entanto, somente a Capela Católica está aberta aos visitantes.
A Capela é bastante simples, com um altar de madeira esculpido em 1882 por um preso da época (Fonte: Kilmainham Gaol Museum). Atualmente, os bancos estão dispostos como se fosse um pequeno anfiteatro ou uma sala de cinema.
Para alguns prisioneiros, as missas de domingo eram a única oportunidade de encontrar outros presos, pois dependendo de seu nível de isolamento, não tinham contato com ninguém (Fonte: Kilmainham Gaol Museum).
A Capela é conhecida pelo episódio do casamento de Joseph Plunkett e Grace Gifford, contado por nosso guia. Em maio de 1916, Joseph Plunkett, condenado à morte pelo Levante de Páscoa, casou-se com sua prometida Grace em uma cerimônia à luz de velas, com dois soldados como testemunha. Os noivos não puderam dizer nada além de seus votos, e Plunkett foi executado horas depois de se casar.

Seguimos Asa Oeste (West Wing), a parte mais antiga da construção, que data de 1796. Este setor da prisão tem corredores estreitos e pode ser considerado como um ambiente bastante sombrio! Na época em que a prisão funcionava, também era insalubre. Nos primeiros anos, as janelas não possuíam vidros, não havia aquecimento e ou luz.

kilmainham gaol

A Ala Oeste da Kilmainham Gaol - um ambiente sobrio e triste (Foto: Tissiana Souza).

As portas são pequenas, baixas e bastante antigas e os cadeados dão a ideia de como era o sistema de segurança da prisão. Segundo o nosso guia explicou, houve uma época em que a cadeia ficou tão lotada que os presos se aglomeravam até mesmo pelos corredores. As celas, que foram projetadas para apenas 1 pessoa, passaram a ser divididas por 5 condenados. Em 1847, um ato obrigou ainda a prisão dos mendigos que viviam pelas ruas, o que agravou as condições do local.
Além disso, não havia separação dos condenados – adultos (homens e mulheres) e crianças ficavam misturados (Fonte: Kilmainham Gaol Museum). Sim, nesta época as crianças também eram presas!
Segundo o site, na década de 1860, as condições de vida na prisão eram tão precárias em termos de higiene e saúde, que muitas pessoas ficaram doentes. Pessoas que apresentavam algum tipo de doença mental também eram tratadas como criminosas.
Mas quais os crimes cometidos pelas pessoas que habitaram esse lugar tão obscuro e ao mesmo tempo enigmático? O site da Kilmainham Gaol relata que eram diversos delitos como, assaltos, dívidas, bigamia, falsificação de moedas, roubos de comida, assassinatos, etc. Durante o período de funcionamento da prisão, a maior parte da população que ficou presa era de criminosos comuns.
A Ala Oeste possui 79 celas, mas originalmente o número era menor. O acréscimo de celas ocorreu durante o século XIX. Nesta ala ficaram diversos presos políticos, e o destaque da história fica por conta dos líderes do Levante da Páscoa de 1916, responsáveis pela Independência da Irlanda. Patrick Pearse, Thomas MacDonagh, Constance Markievicz, Thomas Clarke ficaram presos aqui.

kilmainham gaol

O mais famoso corredor da Kilmainham Gaol, onde ficaram os presos políticos do Levante de Páscoa de 1916 (Foto: Tissiana Souza).

Segundo o site, os presos também eram tratados de maneiras diferentes. Os mais pobres ficavam sujeitos ao trabalho forçado e às regras prisionais, enquanto prisioneiros ricos tinham uma cela própria e podiam receber visitantes!
As mulheres também recebiam um tratamento diferenciado. Quando a Asa Leste ficou pronta em 1861, os homens foram levados para as novas celas mais iluminadas e arejadas, enquanto as mulheres permaneceram na velha Asa Oeste.

Chegamos na Asa Leste. Esta parte da prisão é completamente diferente da Asa Oeste! A estrutura é bastante interessante, com um pátio central, para onde estão voltadas todas as portas das celas. O teto apresenta uma claraboia, que ilumina todo o pátio.

kilmainham gaol

A Asa Leste da Kilmainham Gaol: iluminada e arejada (Foto: Tissiana Souza).

Já dentro das celas, a luz penetra por uma janela alta, que não permitia aos presos ver o que acontecia do lado de fora, mas que deveria “inspirá-los a olhar para o céu” (será que eles se sentiam inspirados?)! São 96 células ao todo, divididas em 3 andares. Abaixo do pátio ficava a cozinha e também outras celas de punição (câmaras subterrâneas).
Algumas celas estão abertas para que possamos entrar e ver como era. São estreitas e não possuem lugar para as “necessidades básicas”. Não dá para imaginar como é viver dentro de um cubículo como aquele por anos!

kilmainham gaol

Uma das celas da Kilmainham Gaol (Foto: Tissiana Souza).

Um fato interessante nesta ala está na cela de Grace Gifford (aquela moça que se casou na capela). A cela é fechada, mas ao olhar por uma abertura na porta, há um lindo desenho de uma Nossa Senhora na parede da cela!

kilmainham gaol

A Nossa Senhora de Grace Gifford (Foto: Tissiana Souza).

Segundo o site da Kilmainham Gaol Museum, esta ala é bastante conhecida pelo público, pois filmes importantes foram gravados no local, como Em Nome do Pai (In the name of the father, 1993), com Daniel Day-Lewis, e Michael Collins – O Preço da Liberdade (Michael Collins, 1996).

Em seguida, fomos conhecer o Stonebreaker’s Yard, uma espécie de quintal da Kilmainham Gaol, onde os presos faziam os trabalhos forçados. Os presidiários (homens) quebravam pedras manualmente – daí o nome “Stonebreaker”. Já as mulheres trabalhavam na lavanderia.
O guia nos contou que os líderes do Levante de Páscoa de 1916 foram executados naquele espaço. Por isso, ele pediu que as pessoas respeitassem o lugar com silêncio. O Levante de Páscoa é um evento político muitíssimo importante para os Irlandeses, lembrado em diversos lugares que visitamos, pois foi o grande responsável pela Independência do país. As cruzes no chão marcam a lembrança das mortes.

kilmainham gaol

Stonebreaker's Yard, onde os líderes do Levante de Páscoa foram executados em 1916 (Foto: Tissiana Souza).

A atividade prisional na Kilmainham Gaol foi encerrada em 1924.

Depois da visita guiada completa pela construção, seguimos para o Museu, que possui objetos relacionados ao antigo presídio, como cadeados, chaves das celas, objetos dos presos e também uma ala dedicada os revolucionários de 1916.

kilmainham gaol

Chaves das celas, no museu da Kilmainham Gaol (Foto: Tissiana Souza).

kilmainham gaol

Cadeados da prisão (Foto: Tissiana Souza).

kilmainham gaol

Número de uma das celas (Foto: Tissiana Souza).

Aproveitamos que estávamos um pouco distantes do centro de Dublin e almoçamos uma sopa no café da Kilmainham Gaol.

A Kilmainham Gaol é um símbolo da luta política da Irlanda. Segundo o próprio site do antigo presídio, a Gaol era um sismógrafo político, que registrava os tremores da relação entre Irlanda e Grã-Bretanha através da prisão em diversos envolvidos em rebeliões a favor da independência irlandesa.
Segundo o site Heritage Ireland (Patrimônio Irlandês), a Kilmainham Gaol é uma das maiores prisões desocupadas da Europa!

Endereço

Inchicore Road, Kilmainham, Dublin 8

Preço para o ano de 2016

Adultos: 8,00 €
Aposentados: 6,00 €
Crianças/Estudantes: 4,00 €
Família: 16,00 €

Horário

Todos os dias. 
Fechado em 24, 25 e 26 de dezembro.

De julho a 7 de Setembro

Das 09:00 às 18:45 horas.
Última admissão às 17:30 horas.

Restante do ano

Das 09:30 às 17:30 horas.
Última admissão às 16:15 horas.

Para mais informações

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: