A Cordilheira dos Andes no inverno

Essa postagem tem coisas boas e alguns perrengues! Afinal, todo mundo já passou algum perrengue em uma viagem!
Quando viajamos ao Chile pela primeira vez, as coisas foram meio caóticas: comecei a passar mal na véspera da viagem e ainda no avião tive os primeiros sintomas de uma diarreia. A sorte é que quando eu estava no auge do meu problema, choveu muito em Santiago.
Choveu muito em Santiago, nevou muito na Cordilheira dos Andes! Queríamos subir a Cordilheira e ver, finalmente, a neve!

Compramos o passeio até o Valle Nevado Ski Resort na empresa Turistik. Fazendo uma pesquisa no site, aparentemente a empresa não fornece mais esse serviço para o Valle Nevado, mas para a estação de Farellones, que fica mais próxima de Santiago.
No dia e hora marcados, estávamos lá no micro-ônibus! Todos os passeios da Turistik passam pegando as pessoas nos hotéis. Depois, todos os veículos seguem para o shopping Parque Arauco e lá ocorrem as reorganizações dos veículos para os passeios. Justamente no dia em que fomos ao Valle Nevado, havia trânsito intenso na cidade! E demoramos para conseguir sair de Santiago.
Antes da subida, que tem 60 curvas em formato de cotovelo, o guia brinca dizendo que o motorista conhece tão bem a estrada que vai de olhos vendados! Verdade seja dita: tem que conhecer muito bem aquela estrada para se aventurar por ela! Já falamos sobre a subida ao Valle Nevado no nosso post sobre a Cordilheira dos Andes no verão .
A subida da Cordilheira foi muito bonita! A paisagem vai se modificando aos poucos. No início, a vegetação toma conta das montanhas mais baixas. Depois, vão aparecendo picos nevados. Em seguida, as encostas começam a ter uns pontos brancos, até que finalmente toda a paisagem está coberta com aquela camada branquinha que a gente queria ver: a neve!

 

O início da subida para o Valle Nevado (Foto: Tissiana Souza).

 

A transformação da paisagem é evidente: tudo começa a ficar branquinho! (Foto: Tissiana Souza).

 

Para nós brasileiros que não somos acostumados com a neve, é uma visão única! (Foto: Tissiana Souza).

Lembre-se de levar óculos de sol. Os raios solares refletidos pela neve podem causar lesões nos olhos após um longo período de exposição. O mesmo acontece com a pele. Use protetor solar.
Nevar muito na Cordilheira foi bom e ruim. Como nevou muito, estava ideal para esquiar. A neve que caiu um dia antes da nossa subida transformou aquele dia da nossa viagem aos Andes como o melhor dia da temporada para esquiar. O Valle Nevado estava lotado! Como chegamos tarde, pegamos fila para comprar as nossas aulas de esqui, não havia roupas para alugar e não havia equipamentos disponíveis para aluguel! Para se ter uma ideia, usamos roupas novas que estavam à venda e os bastões eram infantis!
Fiquei nervosa com a situação. Inicialmente me deram uma calça que era impossível de usar, pois cabiam umas 3 Tissianas dentro delas, de tão grandes que eram, além de serem calças muito compridas! Demoraram para arrumar roupas aproximadamente do meu tamanho. Minha vontade era sumir de lá! Fiquei decepcionada, porque sendo um lugar tão conhecido e uma das estações de esqui mais famosas do Chile, e o maior centro de esqui da América do Sul, achei o sistema totalmente despreparado para uma situação de grande movimento de pessoas. Mas talvez não tenhamos tido sorte e talvez tenha sido um dia totalmente atípico e excepcionalmente com lotação acima do normal.

 

O Valle Nevado em um dia de muita sorte para os esquiadores (Foto: Tissiana Souza).

Compramos a aula, porque afinal, não entendíamos nada sobre a arte de esquiar! Como chegamos tarde na estação, nossa aula também acabou acontecendo somente no meio do período da tarde. Os lugares onde aconteciam as aulas estavam abarrotados de gente, tanto que nossa aula aconteceu em uma das pistas de nível fácil, com pessoas mais experientes cruzando por nós a todo momento. E mais: o professor não estava em um bom dia. Ele estava meio sem paciência em ensinar e era ríspido com as pessoas, todas principiantes, que não conseguiam fazer os movimentos corretamente. Mas pelo menos, entendemos como a coisa funciona! Era como andar de patins, mas em vez de ter “rodas nos pés”, tínhamos esquis. Não caímos nenhuma vez e até que nos saímos bem na aula.
Neste ponto, tivemos sorte em já estar na pista, pois lá tínhamos uma visão muito bonita da cordilheira e do complexo. Não é todo dia que nós brasileiros temos a oportunidade de estar no meio das montanhas andinas a uma altitude de 3.000m!
Acabei não descendo a pista por medo e o Matheus desceu apenas 1 vez, pois não tivemos tempo para mais nada!
Conseguimos, ao menos, contemplar toda a beleza de uma paisagem que era a primeira vez que víamos. Nunca tínhamos visto neve, nem conhecíamos montanhas tão altas!

 

Matheus curtindo seus breves momentos como esquiador! (Foto: Tissiana Souza).

 

Valle Nevado Ski Resort (Foto: Tissiana Souza).

Como o tempo foi muito curto, tivemos que pegar o teleférico e o transporte até a base do Valle Nevado, onde alugamos os equipamentos adaptados, e descer para Santiago. Ainda chegamos atrasados do horário combinado pelo guia da Turistik.

Hoje penso que o mais certo mesmo é ficar hospedado no Valle Nevado por 2 ou 3 dias, para poder aproveitar bem o dia e aprender a esquiar, perder os medos e sentir verdadeiramente como funciona a estação.
Eu não faria de novo esse passeio de subir um dia para fazer aula, pois não deu tempo de nada! Se eu subisse novamente para um passeio de 1 dia, optaria por fazer um Andes panorâmico, como fiz no verão. Na verdade, a vontade de fazer a aula de esqui era muito mais do Matheus que minha. Eu não estava muito em condições depois de passar mal por 3 dias. E ainda cheguei lá, sofri aquela decepção e aí mesmo que fiquei sem vontade de fazer a tal aula.
Mas enfim, não é por isso que deixaria de ir novamente! Afinal, preciso tirar esta minha má impressão! Eu voltaria sim no inverno, porém em condições diferentes! E hoje com mais experiência de viajante, pensaria melhor nas opções para subir até lá.
Outra coisa a se ressaltar é que durante o inverno as temperaturas são negativas no Valle Nevado, podendo alcançar valores positivos durante o dia. Vá com um calçado que dificilmente será molhado, use luvas (de preferência impermeáveis), touca e um cachecol. Proteja bem as extremidades do seu corpo. Com relação às roupas, o melhor é usar a técnica das 3 camadas. Veja essa postagem do blog "Uma Sul Americana", explicando direitinho essa técnica:

https://umasulamericana.com/2015/05/14/como-se-vestir-em-lugares-frios-tecnica-das-3-camadas/

A Cordilheira é uma obra da natureza fenomenal, que vale a pena ser vista em diferentes estações! Ir no inverno e no verão é conhecer o mesmo lugar de duas maneiras completamente diferentes!

Endereço

Avenida Vitacura 5250 of. 304, Vitacura, Región Metropolitana, Chile

Preços para o ano de 2016

Tickets - Valle Nevado Ski Resort

(Alta temporada - 13 de junho a 25 de setembro, feriados e finais de semana)

Adultos (diário): 48.000 pesos chilenos
Crianças de 5 a 11 anos (diário): 36.000 pesos chilenos
Crianças de 0 a 4 anos (diário): 17.500 pesos chilenos
Sênior (acima de 65 anos): 36.000 pesos chilenos
Adultos (meio dia): 44.000 pesos chilenos
Crianças de 5 a 11 anos (meio dia): 32.000 pesos chilenos
Estudantes: 36.500 pesos chilenos

Turistik:

Passeio Andes Panorâmico: 32.000 pesos chilenos.

Para mais informações

Hospedagem e outros passeios no Valle Nevado:
http://www.vallenevado.com/pt/

Turistik:
http://www.turistik.cl/

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: