Cliffs of Moher

Os Cliffs of Moher (Falésias de Moher, em português) são a atração natural mais visitada da Irlanda, com cerca 1 milhão de pessoas por ano! O local já foi cenário de filmes, como “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”.

cliffs of moher

Cliffs of Moher (Foto: Matheus Sabino).

1. COMO CHEGAR:

As falésias de Moher estão localizadas em Liscannor, no Condado de Clare, na costa oeste da Irlanda. Se você estiver em Dublin, situada na costa leste da Ilha Esmeralda, precisará fazer uma viagem de cerca de 3:20 horas de carro e atravessar a ilha para chegar ao local.
Se você não vai visitar as falésias no mesmo dia em que pegar a estrada, nosso conselho é se hospedar em Galway , que está a 75 km das falésias.
Nós saímos de Dublin e viajamos pela rodovia M7 até a cidade de Limmerick. Depois acessamos as rodovias N18 e M18, e na cidade de Ennis pegamos a rodovia N85 até chegarmos a Ennistimon. Nesta cidade, acessamos a rodovia N67 até Lahinch. Em Lahinch, entramos na R478, atravessamos a ponte sobre o rio Inagh, passamos pelo centro de Liscannor e seguimos pela R478 até chegarmos a Cliffs of Moher.

2. EXPERIÊNCIA DE VISITA ÀS FALÉSIAS:

Como dissemos, nossa viagem até os Cliffs of Moher foi feita de carro. Ao passar pelo estacionamento, compramos nossos tickets de acesso na cabine do guarda. Deixamos o carro no seu devido local e partimos para a caminhada!
Não há uma conferência dos ingressos de entrada no parque. Eu considerei isso muito diferente! Vai da índole da pessoa comprar o ingresso de entrada no local, pois não existem catracas ou um ponto específico onde os visitantes mostrem seus tickets.
O nome Moher vem de um antigo forte que se localizava nas falésias e se chamava Mothar. A fortificação foi destruída durante a Guerra Napoleônica, e em seu lugar foi construído um farol, o Hag’s Head, que pode ser avistado quando olhamos para a direção sul das falésias (Fonte: Folheto de visitação – Cliffs of Moher).
As falésias estão localizadas no Geoparque Burren & Cliffs of Moher, integrante da Global Geoparks, uma rede de geoparques reconhecida pela UNESCO. O geoparque é considerado uma zona de grande variedade de sítios geológicos, ou seja, as rochas que formam a região são consideradas de extrema importância natural.
Dentro dos domínios do Geoparque há uma estrutura voltada inteiramente para os visitantes, com caminhos adaptados, escadarias, mirantes e trilhas com muretas de proteção contra os fortes ventos e contra possíveis quedas nos precipícios.
Após o fim da área gerenciada pelo Geoparque, há diversas trilhas que margeiam as falésias, mas que não estão protegidas. Nestes locais, o cuidado pessoal deve ser redobrado!

cliffs of moher

A caminhada pelas falésias é bonita e assustadora ao mesmo tempo (Foto: Tissiana Souza).

Fomos conhecer as falésias de Moher em um dia de Sol e céu limpo. Porém, no dia anterior choveu muito e não conseguimos andar tudo o que planejamos, pois estava um lamaçal sem fim nas trilhas e não levamos outros calçados além das nossas botas de trekking que já estavam nos nossos pés! Nossa intenção era caminhar até chegar ao farol Hag’s Head.
As falésias de Moher possuem uma extensão de 8 km e em seu ponto mais alto atinge 214m de altura! Os visitantes parecem pontinhos no topo das falésias!
A costa é bastante recortada, o que permite que a paisagem e a visão dos paredões mude a cada novo ângulo de observação!
Primeiro caminhamos para a direção esquerda das falésias, rumo à sua parte sul. Andamos até onde a lama permitiu! Voltamos para os limites do Geoparque e paramos no Mirante Sul, que é o principal ponto de observação dos papagaios-do-mar, animais típicos das falésias durante o verão. Nós não conseguimos observa-los porque estivemos nos Cliffs of Moher durante a estação de inverno. No entanto, é possível ver outras aves que vivem nas falésias, como as gaivotas.
Seguimos para a Plataforma Principal (Main Platform), onde está a melhor visão das falésias em direção ao sul. Este mirante é de onde se vê o contorno mais famoso dos Cliffs of Moher, que inclusive é o símbolo do parque e de onde se tiram as fotos “clássicas” do local.

cliffs of moher

As falésias mais conhecidas e mais visitadas da Irlanda, em seu ângulo clássico! (Foto: Tissiana Souza).

Fomos para a Torre O’Brien, que se destaca no topo das falésias por ser a única construção do Geoparque. A torre circular fica próximo ao ponto mais alto dos Cliffs of Moher. Foi construída em 1835 por Cornelius O’Brien.

cliffs of moher

A Torre O'Brien tem um destaque nas falésias (Foto: Tissiana Souza).

O’Brien construiu a torre para servir de plataforma de observação para os visitantes dos falésias (Fonte: Folder de visitação – Torre O’Brien). A área atrai visitantes desde o século XVIII por sua beleza espetacular!
Ficamos bastante empolgados em subir a Torre para ter uma visão ainda mais ampla das falésias! Mas confesso que consideramos a vista um pouco decepcionante, pois no alto da torre existem pilastras de proteção muito largas, que impedem a vista completa dos cliffs. O Matheus tirou algumas fotos erguendo o braço e essas fotos ficaram ótimas, mas nós mesmos não vimos muita coisa.

cliffs of moher

A Torre O'Brien, plataforma de observação dos Cliffs (Foto: Tissiana Souza).

Particularmente, consideramos que não compensa pagar 2 euros para subir a Torre O’Brien (lembrando que isso é uma opinião totalmente pessoal).
Saímos da torre, e seguimos pelas trilhas em direção ao Norte. Fomos descobrindo que há pequenas praias nas bases das falésias!

cliffs of moher

Os Cliffs são realmente impressionantes! (Foto: Tissiana Souza).

O lugar é realmente muito bonito e totalmente diferente do que estamos acostumados a ver no litoral brasileiro. Nunca vimos falésias tão altas nas nossas vidas e acho que dificilmente veremos algo parecido novamente!

Paredões íngremes, lindos e perigosos (Foto: Tissiana Souza).

3. O CENTRO DE VISITAS:

O Centro de Visitas de Cliffs of Moher é um espaço para atender todas as pessoas que visitam o local. A infraestrutura conta com:
-Área de exposição sobre as falésias – é a parte do centro destinada a explicar as origens naturais do local, a fauna e a flora. Assistimos também um vídeo de 5 minutos chamado Ledge Experience, que mostra as falésias através da visão de um pássaro. O vídeo é muito bonito e inspirador!;
-Área de recepção e balcões de venda de bilhetes;
-The Puffins Nest Café – Snacks e Petiscos – onde comemos uma sopa quentinha com pão;
-Cliffs View Café (1º piso) – Snacks/Almoços;
-Vistas panorâmicas nos pisos superiores;
-Lojas de presentes;
-Armazenamento de bagagem;
-Posto dos correios;
-Livro de Visitas;
-Reserva de alojamentos e pontos de informações;
-Sanitários e sanitários adaptados para cadeirantes;
-Fraldários;
-Caixa eletrônico;
-Sala de primeiros socorros;
-Sala de meditação;
-Área para artesãos – Craft Workers Street;
-Wi-fi gratuita em todo o centro e nas dependências do parque.

4. ALERTAS:

Apesar de ser um lugar com uma paisagem linda, confesso que não relaxei muito nessa visita! As falésias são realmente um local muito perigoso nas partes desprotegidas e vi muitas pessoas se arriscando para fazer uma foto legal.

cliffs of moher

Fazer uma foto especial nas falésias é muito legal, desde que seja com segurança! (Foto: Tissiana Souza).

cliffs of moher

Somos formiguinhas perto desses paredões! (Foto: Tissiana Souza).

Um fato curioso é que quando estávamos no geoparque, encostamos em uma mureta de onde se tem uma visão excelente de um trecho das falésias. Logo, um guardinha parou perto de nós, provavelmente alerta caso a gente ou outras pessoas que estavam ali tentassem se jogar.
Infelizmente, os belos precipícios são procurados não somente pelos visitantes que desejam ver as belas formas da natureza, mas também por pessoas que querem se suicidar. Há diversas placas de um grupo chamado “Samaritans”, voltado para atender pessoas que tentam suicídio.
Outra coisa que ressalto aqui é que podem ocorrer deslizamentos nas falésias. Vi várias marcas de deslizamentos recém-ocorridos por conta das chuvas. Isso é um “problema” de geógrafo que passou a vida estudando litorais (no caso, eu) e que sabe como funciona a evolução natural do local! Durante o ano de 2016, algumas partes do Geoparque chegaram a ficar interditadas por conta de deslizamentos nos paredões verticais das falésias.

***

5. BÔNUS - DUNGUAIRE CASTLE:

Depois de sairmos dos Cliffs of Moher, seguimos para a cidade de Galway, onde passamos a noite. No meio do caminho paramos em frente ao Dunguaire Castle, que fica em Kinvara (Condado de Galway).
O castelo abre suas portas aos visitantes somente no verão, entre os meses de abril e outubro. Nesse período, ocorrem banquetes medievais acompanhados por música, poesia e histórias.
O castelo datado de 1520 tem uma localização privilegiada, em uma pequena colina às margens da Baía de Galway. Sua torre tem quase 23 metros de altura!

dunguaire castle

Dunguaire Castle, na Baía de Galway (Foto: Tissiana Souza).

Veja as lindas falésias de Moher da sua casa através das fotografias em 360° no link a seguir:
http://www.cliffsofmoher.ie/3d-tour/

Endereço

Liscannor Village, County Clare, Irlanda.

Coordenadas GPS:
Latitude: 52.9714578 Longitude: -9.4247540

Preços para o ano de 2016

Cliffs of Moher

Adultos: 6,00€
Crianças menores de 16 anos: gratuito.
Pessoas com mais de 65 anos, estudantes e pessoas com deficiência: 4,00€

Torre O'Brien

Adultos: 2,00€
Crianças: 1,00€

Horários

Os Cliffs of Moher ficam abertos o ano todo. O Centro de Visitantes fica fechado nos dias 24, 25 e 26 de Dezembro.

Os horários funcionamento variam de acordo com a estação do ano.
Novembro, Dezembro, Janeiro e Fevereiro - das 09:00 às 17:00 horas;
Março - das 09:00 às 18:00 horas;
Abril - das 09:00 às 18:30 horas;
Maio - das 09:00 às 19:00 horas;
Junho - das 09:00 às 19:30 horas;
Julho e Agosto- das 09:00 às 21:00 horas;
Setembro - das 09:00 às 19:00 horas;
Outubro - das 09:00 às 18:00 horas. 

Para mais informações

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: