Caminhando pela Champs-Élysées: da Place de La Concorde ao Arco do Triunfo

Ir a Paris requer alguns passeios indispensáveis, como visitar o Museu do Louvre e subir a Torre Eiffel! Mesmo que você queira fazer um roteiro bem “diferentão” pela Cidade Luz, é bem provável que você não consiga escapar dos pontos clichês! Eu mesma conheci alguns lugares nem tão badalados pela cidade, mas me permiti visitar tudo aquilo que era tradicional em uma viagem!
Indispensável também é caminhar pela famosa Avenue (Avenida) des Champs-Élysées, com seus 2,3km e conhecer as atrações que estão em seu entorno!
Esta postagem apresenta um roteiro entre a Place de La Concorde e o Arco do Triunfo, passando pela Champs-Élysées.

Arredores da Avenida das Champs-Élysées, com os pontos mostrados na postagem (Fonte: GoogleEarth; Elaboração: Tissiana Souza).

1. COMO CHEGAR:

-Metrô (iniciando pela Place de La Concorde): estação Concorde (Linhas 1, 8 e 12). Saia para a Praça de La Concorde e siga para a Avenida des Champs-Élysées, em sentido oposto ao Jardin des Tuileries.
-Metrô (iniciando pelo Arco do Triunfo): estação Charles de Gaulle - Étoile (Linha 1, 2 e 6).
-RER (iniciando pelo Arco do Triunfo): estação Charles de Gaulle - Étoile (Linha RER-A).
-Metrô (estações que ficam ao longo da Champs-Élysées): George V (Linha 1), Franklin D. Roosevelt (Linhas 1 e 9), Champs-Élysses – Clemenceau (Linhas 1 e 13).
Portanto, existem opções de sobra!!

2. PLACE DE LA CONCORDE:

Iniciamos nossa caminhada pela Place de La Concorde, que fica em uma das extremidades da Avenida des Champs-Élysées.
O principal destaque desta praça é o Obelisco vindo de Luxor, cidade egípcia. Situado na parte central da La Concorde, o Obelisco de 23m foi talhado em granito rosa e tem aproximadamente 3.300 anos de história! (Fonte: Guia Lonely Planet –França, 2012; Paris: Web Oficial de Turismo).

A Place de La Concorde, com destaque para o Obelisco de Luxor (Foto: Tissiana Souza).

E como um obelisco egípcio foi parar em Paris?! Em 1831, o vice-rei e paxá do Egito, Mohammed Ali, presenteou a França com os 2 obeliscos situados na entrada do Templo de Ramsés. No entanto, apenas um dos obeliscos chegou à França.
Segundo o Site Oficial de Turismo da França (Visit France), o Obelisco de Luxor foi instalado na Place de La Concorde em 25 de Outubro de 1836.

place de la concorde

Foto do Obelisco, no centro da Praça (Foto: Tissiana Souza).

A praça também é caracterizada por duas grandes fontes: a Fontaine des Fleuves (Fonte dos Rios) e a Fontaine des Mers (Fonte dos Mares).

place de la concorde

Uma das fontes da Place de La Concorde (Foto: Tissiana Souza).

A Place de La Concorde existe desde 1772. Ficou primeiramente conhecida por ser o local de execução de pessoas durante a Revolução Francesa (Fonte: Paris: Web Oficial de Turismo). O Rei Luís XVI foi decapitado por uma guilhotina no canto Noroeste da Praça em 1793 (Fonte: Guia Lonely Planet – França, 2012). A Rainha consorte Maria Antonieta também foi guilhotinada na praça, no mesmo ano.
Segundo o Guia Lonely Planet – França (2012), 1.343 pessoas foram decapitadas na praça entre os anos de 1793 e 1795, entre elas Robespierre e Danton, líderes revolucionários.
De acordo com o site Paris - Web Oficial de Turismo, entre 1836 e 1846, a Place de La Concorde passou por uma remodelação, através do trabalho do arquiteto Jacques-Ignace Hittorf, e mantém a mesma aparência até os dias de hoje.

3. A AVENIDA DES CHAMPS-ÉLYSÉES:

Certamente, a rua mais conhecida de Paris! É chamada também de “avenida mais bonita do mundo” (mas acho que isso é mais um marketing para atrair os curiosos!).
Entre a Place de La Concorde e a rotatória próxima à estação de metrô Franklin D. Roosevelt, a Avenida des Champs-Élysées é caracterizada por diversas áreas verdes, como o Jardin de La Nouvelle France. É ao lado deste jardim, já fora da Avenida, que fica o Palais de L’Élysée, residência oficial do Presidente da República da França.
Próximo à estação de metrô Champs-Élysées-Clemenceau, encontram-se o Petit Palais (Pequeno Palácio) e Grand Palais (Grande Palácio), ambos construídos para a Exposição Universal de 1900 (Fonte: Guia Lonely Planet – França, 2012).
O Grand Palais é destinado a exposições temporárias, que duram de 3 a 4 meses. Quando visitamos Paris, o local estava fechado, pois as exposições já estavam encerradas.
O grande destaque desta construção neoclássica é seu teto de vidro e aço. A cúpula de vidro (Nef) do Grand Palais é a maior da Europa com este material, tendo uma área de 13.500m²!
Segundo o site de Turismo Oficial da capital francesa, desde novembro de 2000 o Grand Palais é catalogado como monumento histórico.
Para conhecer mais sobre este monumento francês, acesse:
http://www.grandpalais.fr/pt/descubra-o-grand-palais

O Grand Palais (Foto: Tissiana Souza).

Já o Petit Palais abriga o Musée des Beaux-Artes de la Ville de Paris (Museu Municipal de Belas Artes). Nós entramos no Hall do Petit Palais, mas não chegamos a visita-lo. Para mais informações, acesse:
http://www.petitpalais.paris.fr/en

O Petit Palais: atual Museu Municipal de Belas Artes (Foto: Tissiana Souza).

Próximo ao Petit e ao Grand Palais estão dois teatros: o Théâtre du Rond-Point e o Théâtre Marigny.
A partir da rotatória próxima à estação de metrô Franklin D. Roosevelt até o Arco do Triunfo, a Avenida torna-se essencialmente comercial.
É uma rua onde estão situadas lojas de marcas mundiais famosíssimas, como Louis Vuitton, Mont-Blanc, Ferrari, Citroen, M.A.C., Fnac, Zara, Swatch, Sephora, Adidas, etc. Para os apaixonados por futebol, também há uma loja do Paris Saint-Germain.
Há inúmeros restaurantes e bares, todos muito movimentados! Eu, minha mãe e minha amiga Letícia comemos uma pizza em um deles (não lembro o nome!).
O que mais gostei na avenida foram as calçadas largas, onde os pedestres podem caminhar com mais liberdade. Outro diferencial é a carreira de árvores simétricas.

Conhecer a Champs-Élysées é um passeio indispensável em Paris (Foto: Lucilena Souza - créditos para minha mãe!).

Como toda grande avenida de uma grande capital, esta também apresenta trânsito intenso!!!
A Champs-Élysées é o palco dos desfiles em comemoração à Queda da Bastilha, sempre realizados no dia 14 de julho; é o local de chegada dos ciclistas competidores do Tour de France; e o ponto inicial das festividades de Natal em Paris.
Todo primeiro domingo do mês, a avenida é fechada aos automóveis e liberada para pedestres (assim como a Avenida Paulista aos domingos aqui em São Paulo) (Fonte: Site Oficial de Turismo de Paris).

champs-elysees

Vista geral da Champs-Élyssés (Foto: Tissiana Souza).

4. O ARCO DO TRIUNFO:

Na outra extremidade da Avenue des Champs-Élysées fica um dos cartões postais da cidade: o monumental Arco do Triunfo! É sério, o arco é muito, mas muito maior do que eu imaginava!
Para chegar ao Arco do Triunfo, não tente atravessar diretamente para a rotatória! Isso é quase humanamente impossível e você corre o risco de sofrer um acidente!
Há uma passagem subterrânea na Champs-Élysées, e assim você pode chegar com segurança até a rotatória, que na verdade é uma praça.
A Praça Charles de Gaulle (ou Place Étoile), onde está situado o Arco do Triunfo, é a maior rotatória do mundo! Doze, eu disse, DOZE avenidas se encontram neste ponto!!!
O Arco do Triunfo é considerado o maior arco do mundo! Foi encomendado em 1806 por Napoleão Bonaparte, para celebrar sua vitória na Batalha de Austerlitz (Fonte: Site Oficial de Turismo em Paris). Entretanto, o imperador começou a perder batalhas e o projeto somente foi concluído em 1836. Napoleão faleceu em 1821, e portanto, não viu sua grande obra concluída.

arco do triunfo

O Arco do Triunfo visto da Champs-Élysées (Foto: Lucilena Souza).

É impressionante a riqueza de detalhes comportada por este monumento! A cada novo olhar, uma nova escultura, um novo adorno! Que trabalho magnífico e surpreendente!

Detalhes do Arco do Triunfo (Foto: Tissiana Souza).

A construção ficou a cargo de Jean François Chalgrin, que se inspirou no arco romano de Tito para a criação do arco parisiense (Fonte: Site Oficial de Turismo na França). No entanto, Chalgrin foi além e criou um monumento com dimensões excepcionais: 50m de altura, 45m de comprimento e 22m de largura.
No alto de seus 50m há uma plataforma de observação, que permite uma vista panorâmica da região. Como na época eu ainda era pouco experiente em viagens, acabei não subindo o arco! E até hoje me arrependo de não ter feito isso!
Os bilhetes custam 12,00€ e são adquiridos na passagem subterrânea de acesso à Praça Charles de Gaulle.
As informações sobre os horários estão expostos a seguir (para o ano de 2017):
-De 2 de janeiro a 31 de março – aberto todos os dias das 10:00 às 22:30 horas;
-De 1º de abril a 30 de setembro – aberto todos os dias das 10:00 às 23:00 horas;
-De 1º de outubro a 31 de dezembro – aberto todos os dias das 10:00 às 22:30 horas.
Fechado nos dias 1º de janeiro, 1º de maio, 8 de maio (manhã), 14 de julho (manhã), 11 de novembro (manhã) e 25 de dezembro.

Desde o ano de1921, embaixo Arco do Triunfo fica o túmulo do Soldado Desconhecido, um soldado francês da 1ª Guerra Mundial que foi encontrado em Verdun, na região da Lorena. Todos os dias, às 18:30, uma chama memorial é acessa. Há uma mensagem no local:

“ICI REPOSE UM SOLDAT FRANÇAIS MORT POUR LA PATRIE”
1914-1918
(Tradução: Aqui repousa um soldado francês que morreu pela pátria”).

arco do triunfo

O Túmulo do Soldado Desconhecido, embaixo do Arco do Triunfo (Foto: Tissiana Souza).

 

arco do triunfo

Cerimônia militar no Arco Do Triunfo (Foto: Tissiana Souza)

Não me leve a mal, me leve a Paris!

Endereço

Arco do Triunfo
Place Charles de Gaulle, 75008

Petit Palais
Avenue Winston Churchill,
75008

Grand Palais
3, avenue du Général Eisenhower,
75008

Para mais informações

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: