Barra de Coyuca: um paraíso mexicano!

Coyuca de Benitez é um município litorâneo do Estado de Guerrero, México, vizinho a Acapulco. Nosso destino é a Vila de Barra de Coyuca, que fica na parte praiana de Coyuca de Benitez.

São cerca de 40km de distância entre Acapulco e Barra de Coyuca. O trajeto é feito pela Carretera 200 até chegar ao Pie de la Cuesta (Pé da Costa). Saímos das zonas de falésias típicas de Acapulco para adentrar uma área de praia de areias branquinhas, que ficam ao “pé da costa”, com uma quilometragem a perder de vista!

Contratamos o serviço de tour no Resort onde ficamos hospedados (Park Royal Acapulco). Fomos de van, já que dirigir em Acapulco não parece ser uma tarefa muito fácil.

Ao sair da Carretera 200, seguimos pela avenida que se chama Playa Pie de La Cuesta, que depois passará a se chamar Pie de La Cuesta-Barra de Coyuca. Assim que a avenida muda de nome e entramos em Coyuca, ao lado direito há um grande corpo d’agua! É a Laguna de Coyuca, com 17km de comprimento e 8 km de largura.

A avenida continua passando paralela à pista de pousos e decolagens da Base Aérea Militar nº7, pertencente à Força Aérea Militar mexicana, que fica ao lado esquerdo, enquanto ao lado direito da avenida há casas, bares, restaurantes e hotéis.

Ao passar pela Pie de La Cuesta-Barra de Coyuca, percebi como há diversos estabelecimentos hoteleiros fechados. Segundo o nosso guia, foi a queda do turismo na região que gerou uma crise econômica. Desses estabelecimentos, o que mais chamou a nossa atenção foi o Parador del Sol – All Inclusive Resort, que tem uma passarela de pedestres sobre a avenida. É um hotel enorme ocupando os dois lados da avenida, cheio de chalés grandes e... fechado!

A forma das casas, a distância entre as construções, os grandes terrenos vazios e as construções abandonadas me causaram, à primeira vista, uma impressão negativa! O local parecia ser muito abandonado, o que dava a impressão que não teria algo de bom mais afrente! Eu já estava com os meus problemas de intoxicação alimentar e pensei “para onde estou sendo levada?!”.

E seguimos pela estrada até o final, até chegar na Vila de Barra de Coyuca. Fomos no banheiro de um bar na praia e aproveitamos para dar uma olhadinha no mar do Pacífico. Olhadinha mesmo, porque lá não era permitido nadar. O mar era extremamente violento! A praia estava deserta, não havia mais ninguém na areia além de nós! Algo que, de alguma forma cooperou para isto, foi termos ido no final do inverno, apesar do calor que faz por lá!

Praia em Barra de Coyuca (Foto: Tissiana Souza).

barra de coyuca

Na Praia em Barra de Coyuca (Foto: Matheus Sabino).

Depois de uns 20 minutos, nosso motorista da van veio chamar porque nosso barco tinha chegado! Fomos para a margem da Laguna de Coyuca. Todos os barcos parados eram do mesmo jeitinho, coloridos com uma cobertura rústica de folhas de coqueiro! Aquele contraste da areia branca, da laguna de águas escuras, as plantas de um verde único e as montanhas de Sierra Madre del Sur no fundo da paisagem causaram um impacto aos meus olhos: finalmente soube para onde seria levada! E foi uma sensação ótima encontrar uma vista tão linda como aquela!

Foi com essa vista que começamos o passeio! (Foto: Matheus Sabino).

Navegando por aquelas águas calmas da Laguna de Coyuca fui absorvendo aos poucos a beleza daquele local!

Pescadores jogavam suas redes em um movimento perfeito! Crianças se banhavam para refrescar do calor! Pássaros ficavam pousados nos troncos de árvores no meio da laguna e em cima dos barcos! Dezenas de gaivotas estavam paradas à beira da lagoa esperando o melhor momento para as suas refeições! Os coqueirais iam até onde os olhos já não mais alcançavam! Cavalos pastavam e flores de cor lilás desabrocharam para contrastar com aquela variedade enorme de tonalidades de verde! Eu sinceramente nem sabia para onde olhar! Foi uma verdadeira surpresa fazer um passeio como aquele!

barra de coyuca

Pescador em ação na Laguna de Coyuca (Foto: Tissiana Souza).

barra de coyuca

Close nas garças paradas em cima do barco! (Foto: Tissiana Souza).

barra de coyuca

Pássaros tranquilamente descansam no meio da lagoa ( Foto: Tissiana Souza).

barra de coyuca

Cavalos e garças na Laguna (Foto: Tissiana Souza).

Uma das curiosidades sobre a Laguna de Coyuca é que ela foi cenário para filmes como “Tarzan” e “Rambo II”. Nossos guias falaram que o Vietnã de Rambo, na verdade, é a região da Laguna de Coyuca e que os figurantes vietnamitas do filme, eram, na realidade, mexicanos!

Na Barra de Coyuca, em épocas de chuvas, o cordão de areia que separa a laguna do Oceano Pacífico se rompe e as águas se misturam. Depois, naturalmente, o cordão de areia se fecha novamente, para ser rompido na próxima temporada de chuvas! Mas, hoje em dia, os próprios moradores da área já fazem o rompimento, para facilitar o acesso das águas. 

Paramos na casa de uma senhora, a Dona Rocio Lug Zuñ, que vende “barro curativo” (lama medicinal) para hidratar a pele. Já que estávamos lá, passamos aquela argila no rosto para ver se funcionava! Aproveitamos para tomar água de coco, pois estava muito quente! A senhora já recebeu várias celebridades em sua tenda, que foram testar a lama medicinal!

barra de coyuca

O barro que melhora a pele! (Foto: Tissiana Souza).

barra de coyuca

D. Rocio caprichando na camada de barro! (Foto: Matheus Sabino.

Esse tratamento custa 10 pesos mexicanos. Um pote, se não me engano, custa 30 pesos mexicanos. Compensa comprar um pote, mas como eu tinha certeza de que não iria usar, não comprei! 

barra de coyuca

Fiquei linda, hein galera?! (Foto: Tissiana Souza).

Seguimos com barro no rosto para o resto do passeio! Vimos pessoas lavando e estendendo roupas nas margens da lagoa, algo que hoje em dia já não é algo assim tão comum de se ver aqui no Estado de São Paulo.

E finalmente, o barqueiro parou para tomarmos um banho nas águas da Laguna de Coyuca. Eu, para variar, só molhei até a altura das minhas canelas. Já o Matheus, a mãe e a irmã dele e o barqueiro foram brincar num tronco de coqueiro que parecia um trampolim.

barra de coyuca

Nadando na Barra de Coyuca (Foto: Matheus Sabino).

A água era transparente e de temperatura agradável! Vi muitos peixes passando pelas minhas pernas!

Águas transparentes da Laguna de Coyuca (Foto: Tissiana Souza).

Depois disso, voltamos para terra firme e fomos almoçar em um restaurante na praia. Pedimos peixe acompanhado de arroz, salada, e ainda vieram tortilhas para serem apreciadas com feijão preto. Os porções de comida eram enormes! Ficamos satisfeitos. Além disso, o restaurante tinha redes para deitar em frente ao mar! Nada mal para uma tarde de férias!

Hora do almoço! Restaurante simples e comida boa! (Foto: Matheus Sabino).

barra de coyuca

Aquela preguiça pós-almoço! (Foto: Matheus Sabino)

Após o almoço fomos participar de uma soltura de tartarugas marinhas num projeto chamado Las Tortugas al Mar. Foi o momento mais fofo da viagem colocar aqueles filhotinhos na praia, e vê-los indo tão rápido em direção ao mar! É incrível como as tartarugas, mesmo sendo tão pequenas, tem muita força muscular! Elas tentam escapar a todo custo das nossas mãos! As tartarugas foram rapidinho em direção às águas! Foi tão emocionante aquele momento! Ficamos observando aqueles bichinhos serem levados pela força da água! Mais dois minutos ali e eu ia chorar!

barra de coyuca

Ninho protegido de tartarugas marinhas (Foto: Matheus Sabino).

Tartarugas marinhas no criadouro. A maior estava com 8 meses no dia da foto! (Foto: Tissiana Souza).

barra de coyuca

Tartarugas ao mar!! (Foto: Tissiana Souza).

Com as tartaruguinhas ao mar concluímos o passeio! Voltamos para o Resort para aproveitar o resto da tarde.

Endereço

Barra de Coyuca

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: