As torres da Notre-Dame de Paris

A Catedral de Notre-Dame de Paris é incrivelmente maravilhosa! Uma visita para conhecer o interior deste templo católico faz com que nós entendamos a sua grandiosidade!
E para completar a visita, que tal subir as Torres da Catedral e contemplar ainda mais este monumento?! Sim, isso é possível!

As torres de Notre-Dame (Foto: Tissiana Souza).

1. COMO CHEGAR:

-Metrô: estação Cité (Linha 4) – 350m de caminhada.
Chegar à catedral é fácil. Saindo para o calçadão/Rue de Lutèce, siga até a Rue Île de la Cité, em sentido oposto ao Palais de Justice de Paris. Vire à direita na Rue Île de la Cité e em menos de 100m, ao seu lado esquerdo estará a Catedral.

Estações no entono:
-Metrô/Trem Urbano (RER): Saint-Michel-Notre-Dame (Metrô Linha 4; RER B; RER C) – 260m de caminhada.
-Metrô: Pont Neuf (Linha 7) – 1km de caminhada;
-Metrô: Hôtel de Ville (Linhas 1 e 11) – 600m de caminhada;
-Metrô: Châtelet (Linhas 1, 4, 7, 11, 14) – 650m de caminhada.

2. ACESSO:

A entrada para a subida das torres fica na Rue du Cloître-Notre-Dame, na parte exterior da Catedral. A porta está aos pés da Torre Norte (lado esquerdo da Catedral quando estamos olhando a fachada de frente).
Quando visitamos a Catedral, ficamos cerca de 2 horas na fila para conseguir comprar o bilhete e subir as torres.
O acesso de visitantes é limitadíssimo a 20 pessoas, que sobem a cada 10 minutos, já que o espaço físico nas escadarias e nas galerias é bem apertado. A visita total dura cerca de 50 minutos.
Segundo o site Paris – Official Website of the Convention and Visitors Bureau, desde 3 de julho de 2017, a visita às torres somente é feita com reserva pelo aplicativo para smartphone JeFile (http://www.jefile.fr/), que permite que você reserve um horário antecipadamente para subir as Torres de Notre-Dame.
Baixei o app no meu telefone, mas, como não estou em Paris, ele não funcionou, já que capta o sinal de pontos de acesso através de Bluetooth.

O aplicativo JeFile tem esse símbolo da mão. É um "fura-filas".

3. VISITANDO AS TORRES:

O cansaço das duas horas de espera valeu!
A subida inicia pelas escadas em formato de caracol da Torre Norte. São 422 degraus a serem enfrentados e não há elevadores! (Também não há banheiro).
A visita não é recomendada para mulheres que estão grávidas, pessoas com problemas cardíacos, vertigem e claustrofobia. 
Um dos pontos altos da visita é chegar à Galeria das Quimeras, o corredor a 46m de altura, onde as torres se ligam.
As quimeras são esculturas dos estranhos animais, que parecem monstros e estão situados nos cantos, funcionando como adornos. Os animais esquisitos parecem observar a cidade, como se fossem os vigias da Catedral. São datadas do século XIX e foram desenhadas por Viollet-le-Duc (Fonte: Folder da Visita).

As quimeras: animais fantásticos e, ao mesmo tempo, assustadores (Foto: Tissiana Souza).

A vista contempla principalmente o Rio Sena, a Île de La Cité, a Praça do Adro, onde está o Ponto Zero das Rotas da França (em frente à Catedral) e as quimeras.

Paris vista da Galeria das Quimeras. Ao fundo, destaque para a Torre de Montparnasse (Foto: Tissiana Souza).

 

Eu não podia deixar de tirar a minha foto na visita (Foto: Lucilena Souza).

 

As gárgulas de Notre Dame são também muito famosas. Com a forma de animais, e gerando uma certa inquietação aos nossos olhos, as gárgulas são, na verdade, um adorno arquitetônico para que as águas das chuvas escoem distantes das paredes.

As gárgulas: elementos da arquitetura que permitem que as águas se concentrem durante as chuvas (Foto: Tissiana Souza).

Passamos então para a Torre Sul, onde está o sino Emmanuel, o maior da Catedral, com 13 toneladas e o batente de 500kg. Este foi o único sino sobrevivente à Revolução Francesa. Os sinos restantes foram derretidos. O sino Emmanuel toca somente em grandes festas católicas.
Na Torre Sul, subimos até o topo! Uma emoção ter uma vista panorâmica em 360º de Paris e todos os seus monumentos, como a Sacré Coeur de Montmartre, a Torre Eiffel, a Torre de Saint Jacques, a Igreja de Saint-Sulpice, a Torre de Montparnasse, a Igreja de Les Invalides, o Grand Palais, o Arco do Triunfo. O visual da cidade é excelente!

Vista do alto da Torre Sul. Paris sempre apaixonante! (Foto: Tissiana Souza).

 

O Rio Sena se destaca! Acho muito interessante esses sobrados de Paris, todos na mesma altura (Foto: Tissiana Souza).

Outra curiosidade é poder ver o telhado da Catedral, sua estrutura e todos os seus detalhes e adornos.
O destaque é a flecha (ou pináculo), estrutura que afunila em direção ao céu, coroada por uma cruz com um galo no topo! A flecha atinge 93m acima do solo! É alta muito!
A flecha foi projetada por Viollet-le-Duc para substituir a antiga, destruída durante a Revolução Francesa. Ao redor da flecha, há 4 grupos com 3 apóstolos de bronze.
A curiosidade é a estátua de São Tomé, que fica virado para a flecha, para admirar a criação (afinal, São Tomé só acredita vendo!). Viollet-le-Duc representou a si mesmo nesta estátua, ou seja, está contemplando sua própria obra!

 

O Pináculo da Catedral de Notre-Dame (Foto: Tissiana Souza).

Depois de ver Paris do topo da Notre-Dame, a visita termina com a descida da Torre Norte.

Endereço

6 Parvis Notre-Dame - Pl. Jean-Paul II, Código Postal 75004, Paris

Pre;os para o ano de 2017

10,00 Euros

Horário

De 2 de janeiro a 31 de março, das 10:00 às 17:30 horas.
De 1º de abril a 30 de setembro, das 10:00 às 18:30 horas.
De 1º de outubro a 31 de dezembro, das 10:00 às 17:30 horas.
Aberto todos os dias.

Em julho e agosto, visitas noturnas às sextas-feiras e sábados, até às 23:00 horas.


Para mais informações

Catedral de Notre-Dame:
http://www.notredamedeparis.fr/

Mapa da rede de transporte metropolitano de Paris:
http://www.plandeparis.info/metro-paris/metro-paris.html

Tours de Notre-Dame:
http://www.tours-notre-dame-de-paris.fr/

Adicionar um comentário

%d blogueiros gostam disto: